Educadora recomenda atenção aos textos de apoio da prova


O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), via Sisu, é a grande porta de entrada para o ensino superior, já que abrange instituições do país inteiro, mas não é a única. Os vestibulandos fluminenses têm uma uma boa opção, o vestibular Estadual, que seleciona calouros para os cursos de graduação do Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo) e para o curso de formação de oficiais da Academia de Bombeiro Militar D. Pedro II.

Este processo seletivo também é muito procurado pelos estudantes e, por isso, exige de seus candidatos muita dedicação aos estudos. Entretanto, tem algumas diferenças em relação ao Enem. Por isso, para terem sucesso no processo seletivo é importante ficarem atentos e se prepararem da maneira adequada. De acordo com Ângela Chades, coordenadora pedagógica da Escola 24Horas, apesar do conteúdo do vestibular da Uerj contemplar os mesmos parâmetros curriculares, há diferenças que merecem atenção quanto ao estilo de questão.

Segundo a educadora, a prova da Uerj busca a interdisciplinaridade entre diversas áreas do conhecimento, o que não significa dizer que as questões sejam generalistas ou rasas. Ela ressalta que as perguntas exigem um bom conhecimento não só da área almejada, mas sim de todas as disciplinas. Sobre o Exame Discursivo, Chades afirma que é bem clara e objetiva, não apresenta textos longos e irrelevantes ao que propõe e busca trabalhar com gráficos, tabelas, imagens e outras iconografias.

"Enquanto no Enem as questões são estruturadas, na sua maioria, em texto/contexto, enunciado e alternativas, nas outras provas nem sempre é assim. Em muitas questões, por exemplo, vemos enunciados mais enxutos, sem textos longos", falou, chamando atenção em relação ao conteúdo. "Alguns conteúdos, nos últimos anos, não apareceram na prova do Enem como Binômio de Newton e Função Modular, mas são cobrados em outros vestibulares. É preciso ficar atento ao edital", alertou.

Na Redação, a especialista pede que os candidatos identifiquem o problema em foco e definam um ponto de vista para desenvolver, evitando fugir da proposta, seja ampliando demais ou focando em um aspecto diferente do tema. Uma vantagem, de acordo com ela, é o fato de a Redação ser um desdobramento de todo trabalho interpretativo dos textos de apoio. "A prova traz para o candidato os textos que servirão de apoio para a construção da redação. Por isso, abordam o mesmo tema, sob estruturas e olhares diferentes. É uma avaliação contextualizada. Por isso, é preciso atenção à compreensão dos textos de apoio, mostrando entendimento do que foi abordado, realizando comparações por semelhança e diferença", falou.

Por: Larica Santos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações