Folha Dirigida Entrar Assine

Cotas já devem influir na disputa


Os 6,4 milhões de vestibulandos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012 podem ver a concorrência pelas vagas no ensino superior sofrer algumas mudanças. Isto porque, caso seja sancionado pela presidente Dilma Rousseff, o projeto de lei que destina 50% das vagas em universidades federais e escolas técnicas do país a alunos que cursaram o ensino médio integralmente na rede pública, começará a valer a partir deste ano.

As mais afetadas, no Rio de Janeiro, serão a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), já que as políticas de ações afirmativas de ambas não abrangem reserva de vagas para alunos do ensino médio. Para o acesso em 2012, as duas destinaram 10% das vagas nos cursos de Licenciatura apenas para professores em atividade da rede pública. A Rural ainda deu um bônus de 10% sobre a nota final obtida no Enem 2011 para os candidatos que cursaram do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do 1º ao 3º ano do ensino médio em escolas públicas.

Se o projeto de lei for aprovado, as instituições terão quatro anos para se adequarem à nova regra. Entretanto, precisarão garantir uma reserva de pelo menos 25% das oportunidades oferecidas já a partir do próximo processo de seleção, cujas provas ocorrem dias 3 e 4 de novembro.

Já a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), cujo ingresso para 2013 e 2014 se dará exclusivamente via Enem, não deve sofrer tanto caso a Lei de Cotas seja implementada ainda em 2012. Na instituição, 30% das oportunidades são para candidatos que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas e que tenham renda familiar per capita inferior a um salário mínimo nacional.  No caso da Universidade Federal Fluminense (UFF), a instituição já havia informado que 25% de suas vagas para 2013 seriam nos mesmos moldes das ações afirmativas adotadas pela UFRJ. O percentual para esta modalidade de acesso no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) foi de 40% no último processo seletivo. As três instituições precisarão, no entanto, ajustar suas políticas para estudantes negros.

A Lei de Cotas engloba cotas social e racial. Metade das vagas reservadas será destinada aos estudantes oriundos de famílias com renda de até um salário mínimo e meio por pessoa, o que corresponde ao valor de R$ 933. Nessa distribuição, será dada prioridade aos canditados autodeclarados negros, pardos e índios, que serão contemplados de acordo com a proporção dessas raças na população de cada estado, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Enem será realizado em novembro. A consulta aos locais de prova ainda não tem data prevista para começar. Porém, poderá ser feita pela internet. O MEC também deve enviar cartões para os candidatos.

Por: Larica Santos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações