Folha Dirigida Entrar Assine

Estudo interdisciplinar: também é possível se preparar por matéria


A preocupação de adaptar os estudos para o novo modelo do Enem, sem dúvida, deve existir. Mas não pode impedir que o vestibulando comece a preparação ou ser uma causa a mais de estresse. Candidatos que estudem de maneira fragmentada também podem obter bons resultados, desde que estejam atentos às características da prova.

O estudante André Lucas de Melo, 22 anos, conseguiu ingressar no Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo) através do Enem 2011. A estratégia adotada pelo candidato foi a preparação tradicional. Ainda assim, a dedicação lhe rendeu o primeiro lugar no curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

"Eu estudei basicamente cada disciplina de forma separada, mas o que me ajudou foram os vídeos de aulas do Telecurso 2000, que encontrei no YouTube. Utilizei eles para aprender os tópicos em que tinha mais dificuldade. Além disso, separava cada dia para estudar uma matéria, não colocava mais para não me sobrecarregar", afirmou.

O Enem 2011 o primeiro processo seletivo com questões interdisciplinares feito por André Lucas. O estudante prestou o exame em 2007 e 2008, ainda no modelo antigo, mas nunca participou de exames para outras instituições. Segundo André, o Enem cobra dos candidatos habilidades que serão mais úteis em um curso superior.

"Acho o modelo do Enem mais fácil para entrar em uma universidade porque privilegia a capacidade de raciocínio do vestibulando. O exame não exige que o aluno tenha todo o conteúdo gravado na mente. Considero que o mais importante para um estudante que entra numa universidade é saber raciocinar bastante."

Um problema para os estudos constantemente apontados por vestibulandos é a falta de tempo. O Enem é uma prova extensa com grande abrangência de conteúdos e que exige capacidade de leitura e de interpretação por parte dos candidato. Entretanto, com uma boa organização é possível superar a escassez de tempo e conseguir boas notas no exame.

Morador da Zona Oeste, André Lucas trabalha há cinco anos no centro do Rio de Janeiro. A distância percorrida e o trabalho certamente tomaram horas preciosas da preparação, mas, ainda assim, o estudante conseguiu a primeira colocação no curso da Uezo sem fazer pré-vestibulares. Segundo ele, o segredo da aprovação é estabelecer um bom programa de estudos.
 
"Minha principal dica é que o vestibulando não se sobrecarregue, não vire a noite estudando e procure relaxar bastante antes da prova. Eu também estudei em grupo com um colega, que entrou em uma universidade pelo ProUni. Além disso, é importante que o candidato faça a preparação com bastante tempo, pois deixar para a última hora não dá certo".

Por: Daiane Possimoser - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações