Folha Dirigida Entrar Assine

Tema da redação gera polêmica entre instituições da área de Publicidade


Mais uma poêmica envolvendo a redação do Enem 2014: o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) enviou ofício aos órgãos que realizam o exame, no qual é apontado o que a entidade considera um erro elementar na proposta de tema. No texto, os alunos tiveram de escrever sobre "Publicidade Infantil no Brasil em Questão". O erro, na visão do Conar, está em um mapa que tinha como objetivo orientar os estudantes na elaboração de seus textos.

Segundo o Conar, no material de apoio, é informado que no Brasil existiria apenas autorregulamentação para o controle da publicidade voltada para o público infantil. Mas, segundo o presidente do Conar, Gilberto Leifert, há pena de detenção e multa a quem incorrer em publicidade abusiva. Logo, haveria um sistema misto, que combina legislação e autorregulamentação, o que, segundo o presidente, mostra que a vulnerabilidade do país em relação à publicidade infantil não é a que transparece no texto de apoio divulgado na prova.

A Federação Nacional das Agências de Propaganda (Fenapro) também criticou a proposta de redação do Enem 2014. Na visão do presidente da entidade, Glaucio Binder, a proposta foi inadeuqada, pois tratava-se de um assunto que envolve uma discussão muito mais complexa do que a trabalhada na avaliação, pelo MEC. Para ele, da forma como foi feito, o Enem induz a uma formação de opinião, por parte do estudante, sem o embasamento que seria necessário para a questão.

Por: Larica Santos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações