Folha Dirigida Entrar Assine

Candidatos se preparam para concurso da EsPCEx


Estudantes que participarão do concurso de admissão para a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx) em 2016 já estão a todo vapor com a preparação para conseguir uma vaga. Motivados pela estabilidade financeira do concurso, os candidatos dizem que chegam a estudar até 12 horas por dia.

Oliver Sodré, 20 anos, aluno do Colégio e Curso Tamandaré, unidade Vila da Penha, estuda seis horas além das horas dedicadas na parte da manhã quando está no curso. O jovem explica o que o motivou a participar do concurso e avalia a mudança do mês de realização da prova, tradicionalmente, aplicada em outubro e que,este ano, será em setembro por conta das eleições municipais no país.

"Tenho familiares que são militares e a estabilidade que traz para pessoa é uma coisa que me atrai bastante. Na hora de estudar, Eu divido os conteúdos de acordo com a matéria que é dada em cada dia no curso. Estou confiante, mas só não tô me garantindo em Inglês. E essa coisa da prova ser antecipada em um mês não interfere muita coisa não."

Outro candidato que acredita que o fato de a prova ser antecipada não atrapalha é Pedro Avelar, 20 anos. No entanto, o estudante ressalta que o conteúdo estudado no curso está mais corrido. Pedro fala sobre sua rotina de estudos e sobre sua escolha pela carreira militar. "Eu venho para o curso de manhã e na parte da tarde dou uma revisada na matéria que foi dada no dia. Depois reviso os conteúdos que tenho mais dificuldades", comenta o estudante, ressaltando que entre as motivações para fazer o concurso, estão a estabilidade, além do fato de o avô ter seguido carreira militar."

No segundo ano de curso preparatório, Igor Monteiro, 19 anos, também aluno do Colégio e Curso Tamandaré, estuda praticamente todos os dias e disse que, na sua opinião, as mulheres deveriam concorrer a todas as oportunidades ofertadas. "Vou para o curso e depois estudo em média umas seis horas. Por ser o segundo ano de curso, estudo as matérias que tenho mais dificuldades. Faço mais exercícios e resolvo provas anteriores. As mulheres estão lutando por isso há muito tanto tempo. Na verdade acredito que elas deveriam concorrer a todas as vagas junto com os homens", salienta Igor.

Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações