Folha Dirigida Entrar Assine

Fuzileiros Navais: Professor orienta preparação dos candidatos.


Como uma das matérias exigidas no processo de admissão do concurso para Fuzileiros Navais da Marinha, a Língua Portuguesa pode exigir atenção equilibrada dos candidatos que farão o concurso. Francisco Sobreira, Professor de Português do Sistema Elite de Ensino, vê que o aluno deve ter os esforços voltados para seu objetivo maior, e que para passar nas provas desta disciplina, a atenção deve ser redobrada nas questões que exigem textos.

"Em uma orientação geral, é importante que o aluno observe a relação e a textualidade que são abordadas nas questões da prova. O candidato deve ter um cuidado com valor dos conectivos, conjunções, preposições, etc. Entre tudo isso, deve ter bastante atenção, também, aos textos, que sempre são bem elaborados e cobrados. A escolha de palavras, o valor que determinadas palavras suscitam dentro do próprio texto, a relação que as palavras tem umas com as outras, sempre é motivo de atenção. Com isso, o candidato deve ter realmente um estudo mais abrangente, um estudo próprio mesmo."

Muitos candidatos tem a dúvida de como iniciar os estudos específicos para o concurso de admissão para Fuzileiro. Francisco dá uma direção a esses estudantes, que podem começar por meio de cursinhos ou até estudando por conta própria. "Se escolher o viés dos cursinhos, ele deve ingressar em um curso especializado, em determinadas instituições especializadas. Caso escolha por estudar sozinho, ele precisará de bastante preparação para que não saia muito atrás de seus concorrentes. Ambos necessitam iniciar os estudos bem cedo, com resolução de provas dos concursos anteriores. É através delas que ele vai estabelecer a linha de cobrança que rege o dito concurso."

Na opinião de Francisco, além dos professores, os pais podem ser peças fundamentais na preparação de candidatos para este tipo de concurso. "Os pais deveriam dar a disciplina necessária. Ter uma hora de acordar, estabelecer uma rotina de estudos e dar apoio ao filho é um bom começo. Não deixar o candidato nervoso, porque a partir do momento que ele se sente muito cobrado, aquilo recai sobre os ombros dele, e isso não deve acontecer. Deve-se aconselhar e perceber que o filho entrou em uma empreitada que vai exigir esforço, porque a concorrência está cada vez maior."

Francisco ainda apresenta alguns conselhos que os alunos podem seguir para serem bem sucedidos no concurso de admissão. "É importante, e sempre vale muito a pena, que os alunos formem grupos de estudos. Porque com o grupo de estudos tem-se o compromisso de sempre um estar apoiando o outro, tirando dúvidas entre si, etc. Deve-se entender também que estar estudando com o concorrente não é sinônimo de perda e sim de ganho. Ambos podem se ajudar a passar no concurso. Digo isso, porque vivencio com os alunos esta pressão pré-concurso."

A cerca do dia de aplicação das provas, Professor Francisco avisa que o mais importante é a calma e o foco para se ter um resultado bom e satisfatório. "O candidato deve ter muita calma, controle e confiança no dia das provas. Ele tem que saber que é preciso conseguir atingir seu objetivo com esforço, e não existe mágica para fazê-los chegar aonde querem. A confiança vem da parceria entre o aluno e o curso, e o aluno e o professor, onde só o aluno sai ganhando nisso."
 

Por: BRUNO WENCESLAU - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações