Folha Dirigida Entrar Assine

Antonio Freitas é eleito para a Academia Brasileira de Educação


No ano em que comemora 35 anos, a Academia Brasileira de Educação ganha mais um nome de peso. No dia 3 de julho, 41 membros votaram em Antonio de Araujo Freitas Junior para ser o novo membro do colegiado. Ele é pró-reitor de Ensino, Pesquisa e Pós-graduação da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e membro da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE) do MEC.

Freitas contou que recebeu a notícia com muita alegria e garantiu que a escolha é um incentivo a mais para continuar desenvolvendo seu trabalho. "É um reconhecimento pelo serviço que prestamos ao longo de décadas. Isso traz um conforto espiritual e, ao mesmo tempo, energia para prosseguir e compartilhar minha experiência com os mais jovens", comentou.

De acordo com ele, a educação é um dos pontos fracos no país. Suas principais críticas são sobre a educação pública, incluindo o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), as administrações de universidades escolhidas por critérios políticos e a parcela do Produto Interno Bruto (PIB) reservada para a educação.

"A Academia não depende de nenhum governo, então é possível debater livremente, de forma isenta, sobre qualquer assunto. Espero ajudar a solidificar essa entidade, que é um símbolo da educação brasileira. Assim, teremos mais uma fonte para tentar oferecer educação de qualidade para a população, principalmente os mais pobres", falou.

Segundo o vice-presidente da Academia Brasileira de Educação, Pietro Novellino, o ensino brasileiro está passando por uma fase que precisa de maior debate. Por isso, na sua opinião, a entrada de Antonio Freitas será importante para elevar as discussões e contribuir para o desenvolvimento educacional do país. "O Antonio é um educador com muita experiência, inclusive já ocupou diversos cargos de destaque. Muitas vezes, ficamos em uma posição difícil, pois, quando abre uma vaga, competem professores de alto nível. Mas a decisão foi ótima. Ele desempenhou e ainda desempenha atividades que justificam sua eleição. Acho que ele virá para enriquecer nossas discussões democráticas."

O acadêmico Paulo Alcantara Gomes também aprovou o resultado das eleições e aproveitou a oportunidade para ressaltar a importância da entidade no cenário educacional do Brasil. "Além das contribuições individuais na formulação de políticas públicas ligadas à educação, ciência e tecnologia, a Academia também tem uma enorme visibilidade, tanto que é uma das instituições escolhidas pelo MEC para indicar os representantes do CNE", disse.

Por: Larica Santos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações