Folha Dirigida Entrar Assine

Colégio Martins de Vila Isabel: alunos comemoram escolha


No Colégio Curso Martins, em Vila Isabel, o clima é de empolgação entre os autores do livro da escola para o Projeto Redação. À espera do lançamento do livro, marcado para este sábado, dia 7, eles ressaltam que a escolha de seus textos representa um importante reconhecimento.

Aluna do 7° ano, Lara Rodrigues, de 13 anos, já está habituada ao universo da escrita. A estudante disse que sempre teve destaque quando o assunto é redação na sala de aula. “Eu sempre li bastante desde o 2° ano e quando você lê abre a sua criatividade, seu ponto de vista, você se torna uma pessoa mais crítica em relação a tudo.”

Outra aluna que ficou muito feliz ao saber que seu texto será publicado é Maria Luisa Marcelino, de 11 anos. Cursando o 6° ano, a estudante já tinha feito uma avaliação positiva sobre a sua redação. “Eu sabia que tinha grandes chances ter meu texto no livro. Sempre gostei de ler e escrever me sinto livre fazendo isso.”

Utilizar a escrita como válvula de escape é um hábito também para Ana Cecilia Azevedo, de 14 anos. No 8° ano, a jovem usa a escrita como apoio para enfrentar dificuldades e relatar as coisas boas. “Às vezes você não consegue falar o que você está sentindo, e escrevendo você se sente mais livre para isso. Eu escrevo quando estou feliz, quando estou triste.”

Quem possui comportamento semelhante é Gabriela Ruiz, do 9° ano. A jovem de 15 anos também procura colocar o que sente em seus textos. “Escrever é uma maneira de me expressar, e consigo muito mais fazer isso através da escrita. Sinto-me muito bem quando eu escrevo. É como se eu tirasse um peso de mim seja sobre o tema que for.”

Guilherme Soares, 14 anos, que também está no 9° ano, disse ter ficado surpreso com a escolha de sua redação, pois, inicialmente, não achava que seu texto estivesse tão bom para conseguir a publicação. O jovem, que participa do Projeto Redação desde o 6° ano, já foi selecionado uma vez no concurso e fala sobre os benefícios que um texto pode gerar na sociedade. “Fiquei muito feliz com o resultado porque, para mim, escrever é uma forma bem bonita de se expressar. É muito extraordinário saber que, da nossa mente, podem sair ideias e palavras capazes de  emocionar ou até mesmo mudar a vida das pessoas.”

Tarde de autógrafos será realizada neste sábado, dia 7

Os próximos dias serão de expectativa para os autores do livro do Colégio Curso Martins de Vila Isabel. Neste sábado, dia 7 de novembro, será realizado o lançamento da coletânea da escola para o Projeto Redação 2015, uma iniciativa da FOLHA DIRIGIDA, em parceria com escolas e redes de ensino, e que conta com o apoio institucional da Fundação Biblioteca Nacional.

A festa em homenagem aos jovens autores será realizada na própria unidade do Colégio Curso Martins, em Vila Isabel, durante a Oficina de Cultura. A previsão é que logo na abertura aconteça a tão esperada tarde de autógrafos.

O evento pretende reunir, pais, responsáveis, professores e amigos dos autores. O Diretor do Colégio Martins de Vila Isabel, Carlos Roberto Lourenço, ressaltou sua empolgação com a qualidade dos textos selecionados. Para ele, as produções tem melhorado a cada ano e isso é fruto do planejamento da escola.

“O objetivo do evento é premiar a criação do aluno. Muitos que estão ensino médio estudam conosco desde o 6° ano e, dessa forma, aprenderam a fazer redações a partir das orientações e correções de nossos professores. É um crescimento que acontece aqui dentro e isso é muito gratificante”, disse o diretor Carlos Roberto Lourenço.

A coordenação do Projeto Redação 2015 na escola ficou por conta da professora de Língua Portuguesa Mônica Borges. Ela disse que todos os anos os alunos aguardam ansiosamente o concurso, que vale nota para as avaliações do 2° bimestre no colégio. Segundo ela, os participantes mostraram muito empenho na produção dos textos, priorizando a qualidade.

“Trabalhamos mais a questão do conteúdo, que ficou muito bom. Em relação aos textos, verificamos se estavam dentro do tema estabelecido e analisamos os critérios que uma boa redação exige, como estrutura, criatividade, a parte ortográfica e a forma”, disse a professora que também ministra as aulas de Interpretação de Textos e Redação na escola.


Abordagem dos textos pretende fazer os leitores refletirem


Os alunos do Colégio Curso Martins de Vila Isabel escreveram sobre o tema Imaginação, ao participarem da edição desse ano do Projeto Redação. O assunto foi bem recebido pelos estudantes, que procuraram dar novos sentidos e finais a histórias consagradas, além de fazerem uma ligação entre o mundo imaginário e a realidade em que vivem. Confira como alguns estudantes abordaram o tema:

“O meu objetivo foi idealizar um herói como uma pessoa normal. O meu texto fala sobre um garoto que presencia um assalto e vai atrás de um super-herói, mas depois ele percebe que tudo aquilo fazia parte somente da sua imaginação. Através disso, ele resolve tomar uma atitude e começa a ajudar as pessoas que são assaltadas.”
Lucas Marinho 14 anos, 9° ano

“A imaginação é capaz de fazer as pessoas serem o que elas querem ser. Dependem apenas do seu pensamento. A minha história é sobre um cara que é escritor que tem um familiar que pergunta porque ele escreve se um dia tudo acabará. Ele responde que apesar de tudo acabar um dia, com a escrita você pode eternizar as coisas.”
Victória Dutra 14 anos, 9° ano

“Na minha redação eu associei a imaginação como origem da esperança. A pessoa pode imaginar um futuro melhor e nisso deixar para trás um futuro niilista transformando-o em idealista. É bom pregar essa forma de pensar porque às vezes a pessoa não está bem e acaba levantando o astral devido à leitura. No meu texto, procurei abordar o lado mais positivo da vida.”
Victor Hugo Ferreira 16 anos, 2° ano

“A minha redação encaminhou para um lado mais reflexivo porque eu falei sobre as crianças pobres que não têm condições de terem brinquedos e que, através da imaginação, podem se divertir até mais do que as crianças ricas com brinquedos. A intenção é fazer com que os leitores reflitam um pouco sobre essas questões.”
Maria Gabriela de Barros, 16 anos, 2° ano

“Eu abordei a imaginação como uma válvula de escape para as pessoas que vivem focadas somente na realidade e esquecem de sonhar. A intenção é passar que podemos ser tudo que queremos, através da imaginação. Na minha opinião isso é muito bom já que a nossa realidade não é sempre favorável para todos devido a vários motivos.”
Carla Moraes, 17 anos, 2° ano

“O meu texto teve algumas conexões com a realidade. Por exemplo, eu falei sobre a Cinderela, mas na minha história, ela estava grávida e precisava de ajuda da família. Eu sempre tive uma ligação muito forte com os meus pais e toda a minha família. Sempre existiu essa necessidade de estar perto deles. Por isso, eu coloquei isso também na história.”
Maria Beatriz Valverde, 16 anos, 1° ano

“Eu quis fazer uma família porque eu acho que todo filme de princesa acaba sempre com um casal e não mostra o depois. Aconteceu isso no filme da Cinderela. Eu queria ver um final mais feliz do que aconteceu na verdade, então falei um pouco do cotidiano da vida deles após toda história do filme e como eles estavam felizes.”
Vitória Magalhães, 15 anos, 1° ano

“O meu texto não é muito sobre realidade. Contei a história da Chapeuzinho Vermelho, mas por um outro lado com o Lobo Mau não morrendo naquele momento, e sim, no final junto com o Caçador. A intenção foi fazer com que a Chapeuzinho e a Avó se arrependessem e não ficassem felizes em relação ao que aconteceu.”
João Francisco Fortes, 15 anos, 1° ano

Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações