Folha Dirigida Entrar Assine

Corte de ponto não vai amedrontar categoria, diz direção do Sepe-RJ


O coordenador geral do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe/RJ), Marcelo Sant’ana, criticou a decisão do secretário estadual de educação, Antonio Neto, de anunciar que, se a greve se estender para mais de 15 dias, os professores que aderirem terão ponto cortado. A declaração foi dada à FOLHA DIRIGIDA, em entrevista realizada na última quinta-feira, dia 10.

O sindicalista lamentou a declaração e assinalou que a fala não vai amedrontar a categoria. Perguntado se considera a medida inapropriada em virtude do governo não estar com seus próprios pagamentos em dia, o coordenador disse que por enquanto, nem o próprio secretário nem o governo dialogam com os docentes.  “Pedimos uma audiência para tratarmos as questões da greve e ele ainda não nos recebeu”, disse o dirigente sindical.

A greve dos professores da rede estadual de ensino completa duas semanas na quarta-feira, 16, sem qualquer avanço nas negociações. De acordo com a direção do Sepe-RJ, o movimento grevista está em ascensão, principalmente após a adesão de escolas de cidades do interior, como como Itaperuna, Natividade e Porciúncula.

Em relação à mobilização dos alunos, Marcelo Sant’ana comenta que o Sindicato organiza os trabalhadores da educação, porém, aceita e recebe todo o apoio dos estudantes. Para o coordenador geral, isto prova que a briga é, antes de mais nada, por uma educação pública de qualidade e condições melhores de funcionamento das escolas. “Os alunos resolveram se movimentar não só em apoio a nossa greve, mas, também, pelas condições, como falta de ar-condicionado, do pessoal de apoio, porteiro, inspetor e merendeira”.

O coordenador geral do Sepe-RJ também defendeu investimentos do governo na rede pública de ensino. “Se o secretário está tão preocupado com a segurança dos alunos, por que ele não retorna com os porteiros das escolas, os inspetores? Por que não aumenta o número de vagas no turno diurno? Se a preocupação dele é tanta, deveria fazer isso.”

Está marcado para esta quarta-feira, 16, um grande ato unificado da Educação no Largo do Machado, às 14h, com caminhada para o Palácio Guanabara, em Laranjeiras. No dia 17, o Sindicato realizará um ato unificado junto aos servidores estaduais, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

A próxima assembleia geral da categoria ocorre no dia 22, onde será feita uma nova avaliação da greve, para que, a partir da análise do processo de negociação, se decida pela permanência ou pelo fim da paralisação. Segundo número do Sepe-RJ, a última assembleia, realizada na quinta-feira, 11, contou com 3 mil participantes, e a caminhada, que seguiu até a Central do Brasil, mobilizou 5 mil profissionais e estudantes.
 

Por: Diego Da - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações