Entrar Assine

Educação a distância exige maior comprometimento, diz especialista


Fazer um curso na modalidade da Educação a Distância (EAD) não é fácil como os desavisados podem até pensar. A possibilidade de estudar em qualquer horário, nos mais diferentes locais e de acordo com a própria disponibilidade de tempo pode ser uma vantagem ou um problema. Depende do estudante e do nível de seriedade com que ele encara o curso.
 
Por isso, Fernando Arduini, da AVM Faculdade Integrada, de nada adiantam as vantagens da modalidade de Educação a Distância se o aluno não tiver a postura mais recomendada frente à metodologia. Segundo ele, o ensino a distância exige um grau de comprometimento e disciplina bem maior que no formato presencial. Ou seja, a maturidade do aluno ao se dedicar aos estudos é decisiva para que ele tenha o melhor resultado em termos acadêmicos.


Por isso, na pós-graduação, quem já teve alguma experiência com atividades não presenciais sai na frente e tende a ter melhor aproveitamento do curso. O mesmo pode acontecer com os, ao longo da vida, sempre tiveram maior afinidade com uso de mídias digitais. “Muitas vezes, esses estudantes conseguem um diálogo muito mais amigável com as ferramentas tecnológicas utilizadas no modelo”, ressalta Fernando Arduini.

Na pós-graduação, via de regra, a adaptação do estudante é melhor. Isto acontece porque este tipo de aluno, até por conta da idade mais avançada, costuma demonstrar maior maturidade e compromisso com seu percurso acadêmico. Além disso, é comum o curso de especialização, mestrado ou doutorado fazer parte de um planejamento de carreira, cujo objetivo é obter ascensão profissional, o que, por sinal, já serve de incentivo para o matriculado.

“Educação a distância exige dedicação, responsabilidade, comprometimento e planejamento. Talvez, pelo fato de os pós-graduandos já terem esses predicados, por conta de suas experiências profissionais, o sucesso nos cursos a distância seja mais comum entre eles”, destaca o diretor da AVM Faculdade Integrada.

‘As pessoas precisam de praticidade’, diz especialista

“Vivemos em um mundo corrido em que as pessoas precisam de praticidade”, ressaltou Christine Almeida Rodrigues, Designer Instrucional do Núcleo de Educação a Distância (NEAD) da UniCarioca. Segundo Christine, a educação a distância é uma modalidade de ensino que permite ao aluno fazer seu próprio horário, ou seja, o discente pode ditar suas regras de estudo, e assim conseguir conciliar as atividades acadêmicas e profissionais. Isso faz com que este sistema de ensino esteja em expansão e sua qualidade se aprimore a cada dia.

Além disso, com o passar dos anos, a Educação a Distância vem crescendo de forma significativa, fazendo uso de tecnologias de informação. Segundo Christine Almeida, ainda há muito espaço para a expansão do ensino a distância no país. “Essa modalidade de ensino atende a grandes contingentes de alunos de forma mais efetiva, sendo capaz de atender com maior eficácia e qualidade fazendo com que haja uma democratização do ensino. Além disso, os alunos de hoje estão integrados à tecnologia e acostumados a lidar com os diversos recursos de comunicação por meio de computadores”.

No entanto, um dos principais desafios da EAD e da educação em geral é a qualidade do ensino e o desenvolvimento de materiais didáticos mais dinâmicos. Outro ponto importante é fazer com que os alunos da Educação a Distância alcancem a autonomia pedagógica, isto é, o aluno precisa desenvolver a consciência da necessidade de sua autoaprendizagem, evitando assim a evasão.

Atualmente no Brasil, o número de novos estudantes em curso de graduação em educação a distância (EAD) já ultrapassa 1,2 milhão, representando cerca de 17% das matrículas atuais. Na área de pós-graduação, não há números oficiais mas, segundo especialistas do setor, a tendência também é de expansão.


 

Por: Larica Santos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações