Folha Dirigida Entrar Assine

Empresários veem na educação o caminho para sair da crise


O Brasil encontra-se em uma das maiores crises econômicas de sua história, que possui um ingrediente político que torna o cenário ainda mais incerto e difícil de ser contornado. Por conta das dificuldades orçamentárias, o investimento na área educacional tem reduzido no país, o que, para empresários, representa um caminho errado, na medida em que a adoção de medidas capazes de incentivar o acesso à educação é vista como o principal caminho para a retomada do crescimento do país.

Essa é a opinião, por exemplo da empresária Janete Vianel, diretora executiva da empresa MS Group. “A partir de ações conjuntas dos poderes público e privado, estimulando o processo de desenvolvimento das crianças e adolescentes, com certeza vamos formar adultos mais empreendedores.”

Em um mundo globalizado, mesmo em tempos de crise, é natural que o comércio exterior tenha um papel importante na economia. E uma forma de capacitar os brasileiros para um mercado global é investir no ensino de línguas estrangeiras, como defende diretora da empresa Brava Training, Kelly Ronchi. “Isso é essencial para o Brasil avançar em termos de relações externas, principalmente em momentos de crise como o atual.”

Outro caminho para que a educação possa gerar desenvolvimento é por meio do incentivo ao ensino técnico. E a colocação dessa diretriz em prática, diz Robson Santarem, diretor da empresa de RH Anima, poderia ocorrer já no ensino médio. “O estudante tinha que sair do colégio, com seus 17 ou 18 anos, com o ensino médio e sabendo o que é ser profissional. É importante ele ter a noção de que tem de buscar seu caminho para chegar ao mercado, seja por meio de uma faculdade ou de um curso técnico.”

Outra forma eficiente de aproximar nossos jovens das escolas é o esporte, na visão do hoje especialista em Gestão Esportiva e ex-jogador do Botafogo, Maurício de Oliveira. Para ele, é fundamental que o empresariado busque apoiar projetos e ações sérias na área educacional. “Isso lhe trará um retorno, que, se não for financeiro, será o de uma criança que, em vez de estar nas ruas, poderá trabalhar um dia na empresa dele.”

Para o empresário Marcos Oliveira, diretor do Grupo G10, que busca gerar oportunidades de interação e de negócios entre empresas de diferentes setores, o investimento em educação tem se tornado cada vez mais decisivo para o país. “O G10 acabou de fazer dez anos e o balanço que temos feito é o de que é fundamental aproximar mais o empresário da educação. O que o empresário vai ganhar com isso? Poder de gestão, de desenvolvimento, de logística. Dessa forma, ampliam-se as oportunidades de afastar o país da crise”, destacou.

Por: Larica Santos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações