Folha Dirigida Entrar Assine

Inclusão educacional é tema de workshop para educadores


Fornecer suporte, estratégias e técnicas para entender e facilitar o trabalho de inclusão e mediação de alunos com deficiência. Esse é o objetivo do workshop "Inclusão e Mediação Escolar - Criando alternativas para alunos com deficiência", que será realizado no dia 11 de fevereiro, das 8 às 17 horas, na Suesc, no Centro do Rio de Janeiro. Os interessados já podem se inscrever, mas as inscrições são limitadas à capacidade máxima do auditório.

O público-alvo do evento são os pais e parentes, e profissionais como psicólogos, psicopedagogos, professores, fonoaudiólogos, pedagogos, terapeutas educacionais e mediadores. Contudo, podem participar também aqueles que se interessam pela temática envolvida.

"A maioria das escolas não sabem como incluir esse aluno, principalmente as crianças autistas, pois é uma síndrome que não é física como a síndrome de down, o cadeirante. Então acabam jogando essas crianças em salas de recursos com profissionais completamente despreparados, o que prejudica e muito o desenvolvimento e a inclusão social desse aluno, que hoje é criança, mas amanhã será um adolescente, um adulto, sem o menor desenvolvimento e preparo", destaca Thiago de Araújo, organizador do workshop e idealizador da Creative Ideias.

As palestras serão ministradas por dois educadores: Olívia Porto, que é professora, pedagoga formada pela UFRJ e especialista em Psicopedagogia, Administração, Supervisão e Orientação Escolar, Arteterapeuta, Psicomotricista, Psicologia Clínica e Psicologia Hospitalar, e abordará o seguinte tema: "Diagnóstico e Intervenção nos Problemas de Aprendizagem"; e Eugênio Cunha, Doutorando e mestre em educação, professor, conferencista, psicopedagogo e jornalista, que leciona na educação básica e no ensino superior, com o título "Práticas Pedagógicas para Inclusão e Diversidade".

Segundo Thiago de Araújo, o ciclo de palestras é válido para os educadores que desejam trabalhar a questão da inclusão em sala de aula, principalmente porque muitas escolas não contam com profissionais capacitados para diagnosticar as crianças. Retardar o conhecimento dessas informações pode afetar o desenvolvimento do aluno.

O organizador garante que todo educador deve se atualizar e se especializar em relação à educação especial inclusiva, incluindo aqueles que ainda não trabalham diretamente com esta área. "Vemos muitos profissionais interessados realmente em fazer algo, mas também observamos diretores de grandes escolas e de instituições que cuidam de crianças especiais que não ligam a mínima para que seus profissionais se atualizem, e até rejeitam divulgar internamente, pois acham que eles não irão ter interesse. É triste pois quem sofre são os pais que buscam uma escola que realmente inclua seu filho, como prevê a lei, mas a realidade é outra, seja em instituições particulares ou públicas", relata.

Serviço
Suesc - Praça República, 50, Centro, Rio de Janeiro
E-mail: [email protected]
Inscrições: http://creativeideias.webnode.com.br

Por: Marcella Dos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações