Folha Dirigida Entrar Assine

Instituições públicas dominam ranking da OAB


O ranking dos maiores índices de aprovação por instituição superior do XVII Exame de Ordem dos Advogados Brasil mostrou um dado significativo: das dez universidades do Estado do Rio com melhor desempenho dos estudantes, oito são públicas. Com o percentual de 89,19% de aprovação, o curso que funciona no campus de Volta Redonda da Universidade Federal Fluminense (UFF) ocupa a primeira posição do ranking.

Logo atrás aparece o campus de Niterói, também da UFF, com 82,64%. Nas outras colocações, estão a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFFRJ) e a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

Para o porta-voz da OAB Antônio Ricardo Correia, ser aprovado no Exame de Ordem depende fundamentalmente da cultura dos alunos. O especialista explicou que a coordenação geral tenta montar uma prova capaz de calibrar o nível de conhecimento adquirido na faculdade, com o nível esperado da advocacia.

No entanto, Antônio Ricardo Correia acredita que nas instituições públicas de ensino, prevalece, entre os estudantes, um nível de cultura um pouco maior. "Enquanto na instituição pública o aluno ainda pensa na advocacia como um conjunto de coisas que ele vai aprendendo e absorvendo durante o curso, seja para ser juiz, professor ou advogado, na instituição particular, ainda há aquela cultura de querer se livrar da faculdade o mais rápido possível."

Outro elemento relevante nos dados divulgados é que, entre as dez instituições com as maiores médias, aparecem apenas duas privadas: a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ). Segundo Antônio Ricardo Correia, neste caso, a resposta está atrelada ao fato dos graduandos pagarem uma mensalidade acima da média. Segundo o especialista, por conta dessa característica do perfil do estudante, o nível de controle tende ser maior. "Há uma forçação para que o aluno tenha presença, dedicação, envolvimento, e para que não passe cinco anos só para adquirir o diploma."

Considerando-se os cursos com as 20 melhores médias, a presença do setor privado é maior. Figuram nesta lista, instituições como a Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas (Ibmec),  a Companhia Nacional de Escolas da Comunidade (Cenec), a Universidade Unigranrio/Nova Iguaçu, o Centro Universitário da Cidade (UniverCidade - neste caso, tratam-se de alunos que estavam prestes a concluir o curso antes de a instituição ser extinta e que só fizeram prova em 2015), Universidade Veiga de Almeida (UVA), Universidade Estácio de Sá (Unesa) e a da unidade do Centro III.

Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações