Folha Dirigida Entrar Assine

Mais recursos para obras nas escolas estaduais


O Secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, anunciou que, para 2012, o orçamento para obras, reformas e construção de novas escolas vai mais que dobrar. Segundo Risolia, 2011 vai fechar com R$120 milhões destinados à infraestrutura. Essa rubrica, destacou o secretário, tem previsão de R$300 milhões para 2012.

“O ano de 2012 promete ser bom para a área de infraestrutura. Já queimamos muitas etapas em 2011. O que demora é a elaboração do projeto, a definição do orçamento e a realização da licitação. Quando isso tudo está pronto, as coisas acontecem mais rápido”, afirmou Risolia.

Também neste final de ano, a Secretaria Estadual de Educação decidiu pagar um bônus de R$500 para professores e servidores da rede estadual. Só profissionais que estiverem na ativa receberam o valor. O total investido foi de R$36 milhões. Segundo o secretário Wilson Risolia, o benefício foi possível por causa da melhoria dos gastos da secretaria.

Em 2010, uma gratificação semelhante foi concedida na mesma época do ano. Outra novidade é que, na volta às aulas, em fevereiro de 2012, entrará em funcionamento a Escola Seeduc, com cursos para professores e servidores.

Em coletiva de imprensa recente, o secretário Wilson Risolia fez um balanço das ações da Secretaria ao longo de 2011. Segundo ele, houve crescimento nos três principais índices de qualidade das escolas. Ainda assim, a situação é preocupante, pois, do total de unidades, quase 58% são regulares, ruins ou péssimas. Ainda assim, ele considerou a evolução positiva.

“A intervenção desse ano significou um avanço. O percentual de 7% de ótimo virou 9%; O de 31% da categoria bom passou para 33%; O de 39% de regular se transformou em 40%; Já na categoria ruim, o percentual caiu de 22% para 17% e o péssimo passou para 0,8%”, destacou Wilson Risolia.

O secretário também anunciou que o Rio de Janeiro deverá oferecer aproximadamente 26 mil vagas no ensino profissional em 2012. A ideia é ter, até 2023, 100% da rede com o ensino médio integrado.

Durante a entrevista, ele ainda fez um balanço sobre as ações ocorridas em 2011 e uma projeção das medidas para 2012. Sobre o magistério, o secretário informou que a carência de professores passou de 11.773, em 2010, para 1.559, em 2011. Isso foi feito com a convocação de novos concursos, a criação do cargo de Professor Docente I 30 horas, contratações temporárias, entre outras medidas.

O secretário também destacou que promoveu um reajuste salarial de 62,38% para os profissionais da rede de ensino, o que, segundo ele, representou um aumento real de 25,38% no período de agosto de 2007 até setembro deste ano.

“A classe tinha uma demanda em relação aos enquadramentos. Fizemos 12 mil enquadramentos em 2011. Havia muita gente esperando por enquadramento há mais de dez anos e conseguimos zerar isso”, comentou o secretário de Educação, informando, em seguida, que também foi zerado o enquadramento no adicional por qualificação.

"Não existe mais passivo em relação a isso. Enquadramos todos. Professor com mestrado e doutorado têm um bônus. O que acontecia é que ele se formava e demorava muito para enquadrar. Ele ficava um ano ou até dois sem receber e perdia. Isso é um direito. Não é um favor. Colocamos em dia essa demanda”, disse Wilson Risolia, que informou, ainda, que, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apresentados durante a entrevista, a rede estadual conta, atualmente, 41 mil professores para atender 491 mil matriculados no ensino médio.

Por: Renata - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações