Folha Dirigida Entrar Assine

Ocupações: negociação avança entre Secretaria e estudantes


Representantes da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (Seeduc-RJ) e de alunos que ocupam escolas estaduais terão, nos próximos dias, uma série de reuniões de negociação. A primeira acontecerá às 14h30min da próxima sexta-feira, dia 13. Os outros encontros estão previstos ainda para o mês de maio, nos dias 16, 17, 19, 20, 23 e 24. As negociações serão intermediadas pela Defensoria Pública do Estado.

O objetivo é buscar soluções para os problemas apontados pelos estudantes das escolas ocupadas. Dentre as principais reivindicações estão a reformulação da prestação do serviço educacional, melhora na qualidade da merenda, do material e do uniforme escolar, e gestão com maior participação dos alunos e responsáveis.

Em nota, a Seeduc informou que fez um acordo com os estudantes em que, após o fim das ocupações, 40 dias depois, haverá consulta à comunidade escolar para escolher novos diretores. Também disse que o Saerj será reformulado para um preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e que solicitará que a recarga do Riocard passe a acontecer uma vez por mês e não uma por semana.

Na última quarta-feira, dia 11, representantes da Secretaria de Educação apresentaram, na Comissão de Educação da Alerj, um termo de compromisso que teria sido assinado na véspera, em um encontro do qual participaram estudantes e integrantes da Defensoria Pública do Estado. Na próxima quarta, uma audiência pública, com a presença de representantes dos alunos, discutirá a aplicação do acordo.

O avanço nas negociações acontece no momento em que cresce a tensão entre os estudantes favoráveis e contrários às ocupações. No início desta semana, alunos do movimento DesocupaMendes entraram no C.E. Mendes de Moraes, na Ilha do Governador, e expulsaram os estudantes que ocupavam a escola. O movimento anti-ocupação quer o retorno das aulas e alega que, por conta das ocupações, o ano letivo de 2016 está comprometido. Um ofício da juíza titular da 2° Vara da Infância, Juventude e do Idoso, Glória Heloisa Lima da Silva, garante que os 200 dias letivos serão readequados e os estudantes não serão prejudicados.

Por outro lado, alunos do movimento OcupaMendes relataram no Facebook que foram roubados e agredidos pelos estudantes contrários ao movimento. Em vídeos postados na rede social, eles mostram portas arrombadas, vidros quebrados, alimentos revirados, além de outros materiais espalhados. Segundo eles, tudo por conta da ação do movimento DesocupaMendes.

Outro vídeo mostra um rapaz chamado Vitor, segundo publicação dos estudantes, sendo agredido e colocado para fora da escola por integrantes do movimento contrário à ocupação. De acordo com publicação, Vitor é estudante da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e estava dando aula de violão no momento da chegada do grupo do DesocupaMendes. Devido a agressão o universitário acabou tendo uma fratura no osso da mão esquerda.

O movimento OcupaMendes acusa a Seeduc de incentivar o movimento contrário à ocupação. Em nota divulgada por conta do confronto, o órgão informou que está em negociação com os estudantes e repudia qualquer forma de violência, de ambos os lados.

Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações