Folha Dirigida Entrar Assine

Polícia Federal investiga fraude no ingresso na UniRio


A Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) está às voltas com a investigação de um possível esquema de fraude no ingresso de estudantes no curso de Medicina este ano. A suspeita é de que cinco alunos tenham sido matriculados irregularmente na instituição.

A Polícia Federal já foi acionada para investigar o caso. Os alunos teriam sido cadastrados com números de inscrição de candidatos que passaram para a UniRio, mas desistiram da vaga. Dessa forma, segundo as primeiras informações sobre o caso, os estudantes estariam frequentando a universidade e assistindo às aulas normalmente.

A UniRio descobriu o problema em um relatório sobre ocupação de vagas, elaborado em março. Na ocasião, foi constatado que, apesar de 15 candidatos terem desistido de estudar na institução, somente 10 vagas estavam ociosas. A apuração inicial da universidade concluiu que cinco alunos foram inscritos de forma irregular, daí o total de vagas ociosas menor constatada no relatório.

Além de acionar a Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, para investigar o caso, a UniRio instaurou uma sindicância interna para averiguar se há participação de funcionários. Uma das hipóteses que estão sendo investigadas é a da compra de vagas. Os estudantes e profissionais envolvidos podem ser responsabilizados na esfera cível e criminal, em relação ao ocorrido.

Em seu site, a UniRio divulgou uma nota oficial sobre o problema. Veja a íntegra do texto:

Nota de esclarecimento sobre irregularidades na matrícula de estudantes na EMC

"Sobre a denúncia de irregularidades na admissão de estudantes na Escola de Medicina e Cirurgia (EMC), a Reitoria da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) informa que foi aberto um processo para apurar o uso indevido de números de matrículas canceladas por estudantes que não foram regularmente matriculados na Universidade. As supostas irregularidades foram observadas por meio de relatório de evasão gerado no dia 15 de março de 2012. A Direção da Escola verificou a inclusão de cinco nomes, de estudantes que não foram regularmente matriculados, no Sistema de Informações para o Ensino (SIE), com o uso de números de matrículas canceladas. Ao constatar a divergência, a Direção da EMC decidiu informar a Reitoria sobre as supostas irregularidades.

A Reitoria da UNIRIO prontamente consultou a Procuradoria-Geral junto à Universidade a respeito das providências cabíveis, e o órgão recomendou a abertura de uma sindicância. No dia 27 de março, foi instaurada a Comissão de Sindicância, composta por representantes de diferentes setores da UNIRIO. O prazo para realização dos trabalhos da Comissão é de 30 dias, prorrogáveis por mais trinta. Já foram ouvidas a diretora da EMC, Maria Lucia Pires, e a decana do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Lucia Marques Vianna. Os estudantes estão sendo convocados a prestar depoimento nesta terça-feira, 10 de abril, às 14 horas. A Comissão ouviu nesta segunda-feira, 09 de abril, dois servidores da EMC.

Além disso, atendendo a orientação do Ministério da Educação, no dia 05 de abril a Reitoria encaminhou ofício ao Superintendente Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro, Valmir Lemos de Oliveira, comunicando sobre as possíveis irregularidades.

Por: Larica Santos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações