Folha Dirigida Entrar Assine

Prefeitura vai premiar escolas que atingiram as metas do Ideb


Em coletiva realizada na tarde da última quarta-feira, dia 15, a secretária municipal de Educação, Claudia Costin, informou que, em 493 escolas, os profissionais ganharão um bônus por terem atingido metas de desempenho estabelecidas pela prefeitura. Este total representa 58% das unidades que foram poderiam ser contempladas.

Destas 493 unidades, 60 fazem parte do Programa Escolas do Amanhã, que desenvolve atividades educacionais específicas, entre elas, aulas em regime de tempo integral, nos colégios localizados em áreas de risco. Nestas unidades, os profissionais receberão um salário e meio. Nas demais escolas, o prêmio é de um salário. O pagamento será feito em setembro.

Um dos parâmetros para a premiação das escolas foi a meta do Ideb que cada uma tinha de alcançar. A cidade do Rio, por sinal, teve o melhor desempenho no segundo segmento desde que o Ideb foi criado. O índice de 4,4 foi superior, inclusive, ao registrado na época em que vigorava o sistema de ciclos.

No ano de 2005, o índice era de 3,7, sofrendo um aumento significativo para 4,3 em 2007, por causa do aumento nos índices de aprovação decorrente da progressão continuada. Com o fim da aprovação automática em 2008, quando Claudia Costin assumiu a gestão da Secretaria Municipal de Educação e  determinou o fim dos ciclos para o segundo segmento, o município amargou a queda deste índice para 3,6.

Em 2011, o indicador passou para 4,4, um crescimento de 0,8 ponto. Esta evolução da educação no município pode ser notada a partir de uma análise dos dados referentes aos resultados da avaliação Prova Brasil, que compõe o Ideb. Nesta avaliação, os estudantes vêm mostrando notas crescentes nas duas disciplinas que são avaliadas - Matemática e Português. No ano de 2007, por exemplo, a nota média dos alunos foi de 4,62; em 2009 foi 4,86; e em 2011, 5,10. Isto significa que existe um crescimento progressivo no nível de aprendizagem.

Segundo a secretária Claudia Costin, quatro aspectos foram essenciais para a evolução do Ideb na cidade: reforço escolar, currículo organizado, realização de provas a cada dois meses e materiais pedagógicos adaptados. Ela também ressaltou o papel das provas unificadas.

"Com as provas unificadas, as escolas passaram a ter um monitoramento de quem está aprendendo. Não podíamos substituir a aprovação automática pela reprovação automática", comentou a secretária, que também informou que, nas unidades que fazem parte do Projeto Escolas do Amanhã, a evasão caiu de 2,6% para 2,3%, no último ano.


Por: Larica Santos - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações