Entrar Assine

Reta final de inscrições no Prêmio de Educação Científica 2016


Faltam poucos dias para o fim das inscrições no Prêmio de Educação Científica 2016, que busca valorizar professores da rede pública do estado do Rio de Janeiro que realizam projetos nas disciplinas de Matemática, Ciências, Física, Química e Biologia. O prazo termina no próximo dia 20 de agosto.
 
Esta é uma oportunidade para que professores sejam reconhecidos pela contribuição que trazem ao aprendizado de estudantes e também para que ampliem seus conhecimentos e aperfeiçoem ainda mais suas práticas. Isto porque o prêmio principal é uma viagem a Londres, na Inglaterra, em que os vencedores conhecerão projetos educacionais e culturais e visitarão instituições de ensino e de estudos científicos.
 
Promovido pela BG Brasil, uma subsidiária da Royal Dutch Shell, o Prêmio de Educação Científica 2016 tem duas categorias: professores do 6º ao 9º anos do ensino fundamental e docentes do ensino médio. Os profissionais que estiverem à frente dos três melhores projetos, em cada um desses dois segmentos, ganharão a viagem.

Escolas podem ser premiadas com TVs e projetores
 
Além disso, o primeiro colocado em cada segmento receberá R$5 mil em cartão bônus, para cobrir gastos. Para o segundo lugar, o valor é de R$4 mil e, para o que ficar na terceira posição, é de R$3 mil. Despesas com transporte, hospedagem, alimentação, visitas, entre outras, serão custeadas pela organização, nos termos do regulamento.
 
A partir deste ano, as escolas onde são desenvolvidos os projetos dos vencedores serão premiadas. Os seis colégios ganharão uma televisão de LCD e um projetor multimídia. A diferença, de acordo com a colocação do docente, é o tamanho do aparelho de TV: 48 polegadas para a unidade onde atua do primeiro colocado, 42 polegadas para a do segundo lugar e 40 polegadas para a do que ficar na terceira posição.
 
A avaliação dos melhores projetos será feita por uma banca independente, composta, em geral, por professores universitários, mestres, doutorandos e doutores nas áreas de Ciências, Matemática, Física e Química. Segundo Pamella De-Cnop, o prêmio tem possibilitado não só dar visibilidade a iniciativas de sucesso como também valorizar o esforço dos educadores.
 
No ano passado, tivemos um professor de uma escola rural de Tanguá, no interior do Estado, como um dos vencedores. E é incrível; eles não acreditam que podem, e quando ganham, é uma quebra de paradigma. Eles veem que podem. O caso deste professor é um bom exemplo para estimular milhares de outros que tamém têm projetos interessantes”, completa a gerente de Responsabilidade Social da BG Brasil, ao falar do Prêmio de Educação Científica 2016, que possibilita a professores de Ciências, Matemática, Física, Química e Biologia ganharem uma viagem a Londres.

Por: Diego Da - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações