Folha Dirigida Entrar Assine

Segundo a UFRJ, Ligth se comprometeu a retomar fornecimento de luz


Segundo nota oficial divulgada pela assessoria de imprensa da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Light comprometeu-se a normalizar o fornecimento de energia na instituição. No último dia 18, por falta de pagamento, três unidades tiveram a luz cortada: a Escola de Música, o Observatório do Valongo e a Editora UFRJ.

De acordo com o informativo divulgado pela universidade. na próxima segunda-feira, dia 25, será realizada uma reunião entre representantes da UFRJ e da diretoria comercial da Light. No encontro, a direção da universidade irá propor um cronograma de pagamento de débitos e padrões de relacionamento com a concessionária, que reconheçam a universidade como um grande consumidor do serviço no Rio de Janeiro.

Desde o início da semana, a direção da universidade negociava com a concessionária a normalização do fornecimento de energa. Em nota, a direção da UFRJ informa que se surpreendeu com o corte, pois o procedimento ocorreu logo após a instituição ter saldado uma das faturas em atraso, conforme compromisso firmado junto à empresa na semana passada.

A UFRJ não divulgou informações sobre quantas parcelas ainda estavam pendentes. Na nota oficial em que informava sobre a normalização do fornecimento de energia, constava que, este ano, a instituição quitou R$15 milhões, mas referentes a débitos do ano passado. No mesmo texto, é destacado que foram feitos empenhos, ou seja, compromissos fomais de pagamento, até o mês de março. "A Reitoria considera injustificável e inapropriada a interrupção do abastecimento de energia em áreas acadêmicas, que envolvem ensino, pesquisa, segurança dos estudantes e patrimônio público", informa um dos trechos da nota oficial.

Procurada pela FOLHA DIRIGIDA na última terça-feira, dia 19, a assessoria de imprensa da Light, confirmou que a a universidade havia quitado parte de sua dívida, mas que ainda havia faturas em aberto. A empresa não repassa à imprensa dados referentes a valores de dívidas com clientes.

A concessionária reforçou que só corta o fornecimento de energia, como fez com a UFRJ, depois de esgotar todas as possibilidades de negociações. Segundo a Light, a empresa, antes de realizar os cortes, cumpriu todos os procedimentos regulatórios, bem como realizou diversas reuniões e contatos telefônicos com representantes da universidade. A Light não descarta a possibilidade de corte no fornecimento de outras unidades da UFRJ.

Segundo a UFRJ, o aumento de 49% entre janeiro e outubro nas tarifas de energia em 2015 praticamente dobrou o valor das contas, apesar do consumo ter se mantido o mesmo em comparação ao ano anterior. Ainda de acordo com a direção da universidade, diversos fatores levaram a instituição a atrasar os pagamentos, como o contingenciamento no orçamento de 2014, além dos cortes nos recursos de custeio e investimentos em 2015.

"Destacamos que a universidade depende de recursos federais. No ano passado, encerramos nosso exercício financeiro com déficit de R$125 milhões, decorrentes de fortes contingenciamentos nos orçamentos de 2014 e 2015. Em vista desse cenário, temos nos empenhado para honrar compromissos, de forma a garantir o funcionamento adequado da  universidade", informou a direção da UFRJ, por meio de nota.

No último Conselho Universitário, o reitor Roberto Leher defendeu que as universidades deveriam pagar conta de energia em condições melhores, como as obtidas pelo setor industrial. Segundo ele, a conta da UFRJ é de R$58 milhões. “Não podemos continuar pagando luz como se fôssemos domicílio. Nossa demanda é muito grande.”

Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações