Folha Dirigida Entrar Assine

Encerramento da participação do Colégio Realengo no Projeto Redação 2017 é marcado pela emoção


O Colégio Realengo realizou, no último dia 22, a cerimônia de entrega dos livros do Projeto Redação 2017. No evento, além das apresentações das redações selecionadas para o livro, também houve a apresentação de uma banda formada por dois professores e um aluno. 
 
Para o professor de Redação e Língua Portuguesa Ubiratan Souza, a iniciativa da FOLHA DIRIGIDA e da Biblioteca Nacional é importante, pois resgata os alunos para o desejo de retornar aos livros. "Até mesmo na era digital é possível baixar muitos livros, ler e saber escrever. O aluno só consegue escrever bem se também ler bem", disse Ubiratan. 
 
Na opinião do professor, o crescimento de plataformas que possibilitam a leitura online não anula a escrita na era digital. Na verdade, não importa se o aluno digite ou escreva em um papel aquilo que pensa. No fim, o que importa mesmo é a habilidade de transformar esses pensamentos em texto. 
 
Professores do Colégio Realengo durante a cerimônia 
 
"O projeto é muito importante porque eles se reconhecem dentro da situação, do tema, e desenvolvem várias habilidades que vão além da escrita. Além disso, aprendem a organizar os diferentes tipos de textos e a se relacionar com as diferentes situações com as quais vivemos diariamente", destacou Reni Nogueira Vitorino, também professora de Redação do colégio.
 

Pais e filhos transbordam orgulho durante o evento

Os pais, orgulhosos, se diziam bastante orgulhosos pela conquista dos seus filhos. Vanessa Porfírio, mãe de Gabriela Porfírio, do 6° ano, estava radiante com a realização da filha.
 
"É Uma grande vitória ver minha filha com as outras crianças participando desse projeto. Fiquei muito feliz em ver como ela desenvolveu o texto. Seria maravilhoso se todas as escolas pudessem fazer, porque incentiva as crianças a participar, ler, escrever e desenvolver suas mentes", disse Vanessa. 
 
Já Gabriela disse se sentir muito feliz, pois não esperava ser selecionada no projeto. "Vim de uma escola muito pequena. Por ser tudo muito novo, não esperava ser selecionada. Primeiramente, tenho que agradecer a Deus, depois à minha família, porque se não fosse por isso, com certeza eu não estaria aqui." 

Vanessa ressaltou o quanto a filha se empenhou e lembrou as primeiras expectativas de Gabriela sobre a participação no Projeto Redação. 
 
"Ela chegava em casa dizendo que tirou foto, que entrevistaram, dizendo que estava participando do projeto. Depois ela chegou em casa dizendo que tinha uma surpresa e que havia sido selecionada no projeto. Ela gosta de escrever, adora uma história."

Projeto estimula a criatividade e surpreende os próprios alunos

Não é só os pais que se sentem orgulhosos. Abrir o livro e ver a sua redação dando vida à folha em branco surpreende também os alunos. Principalmente aqueles que, por alguma razão, não se sentem criativos. 
 
"Estou feliz, mas não sei explicar direito porque nunca passei por isso, mesmo estudando aqui há algum tempo. Sabia que era um grande evento, mas nunca pude participar. Gosto muito de escrever, mas às vezes acho que não sou criativo. Por isso foi uma surpresa ter minha redação selecionada", disse Cauã Ortiz, aluno do fundamental II.
 
Além de despertar o escritor que há dentro de cada um, segundo Bernardo Lou, aluno do 6° ano, ter um texto publicado em um livro acaba fazendo com que o estudante se sinta mais importante e motivado. 
 
"Esta noite eu não dormi, fiquei muito ansioso. É a primeira vez que participo. Gostei muito do livro, também. Todas as redações ficaram ótimas. Para mim, escrever é poder desabafar tudo que eu sinto. É como colocar todo aquele peso do meu pensamento em um papel", confidenciou o estudante. 

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações