Folha Dirigida Entrar Assine

Rio+20: caminhão da SOS Mata Atlântica fará parada no Aterro do Flamengo


Após percorrer mais de 20 mil quilômetros por todo o país, o Caminhão da Fundação SOS Mata Atlântica fará uma parada no Aterro do Flamengo, entre os dias 15 e 23 de junho. A Organização não governamental que, desde 1986 defende a preservação da Mata Atlântica, integrará a Cúpula dos Povos, o grande encontro da sociedade civil na Rio+20.

A luta da instituição é para explicar à sociedade que a Mata Atlântica já cobriu 61% do território nacional. E, hoje, ela cobre apenas 7% do país. Por isso, a entidade desenvolve uma série de ações para promover a conservação da diversidade biológica e cultural, do bioma e dos ecossistemas na Mata Atlântica.

A exemplo do que já ocorreu em 80 cidades, a Cúpula dos Povos contará com o projeto “A Mata Atlântica é aqui – exposição itinerante do cidadão atuante”. O caminhão, que percorre os 17 estados em que existe o bioma Mata Atlântica, levará oficinas, exposições, exibições de filmes e jogos educativos. Sob a orientação de educadores e monitores especializados, serão realizadas palestras, coleta e análise da qualidade da água, entre outras atividades.

Desde maio de 2009, quando foi lançado, o projeto já visitou 80 cidades, do Rio Grande do Sul ao Piauí, trazendo informação a mais de 290 mil pessoas. Em março deste ano, uma das localidades visitadas foi a Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, comunidade pacificada em novembro de 2010.

A atividade agradou estudantes da região, como Gelson da Silva Ribeiro, 12 anos, Escola Municipal Alberto Rangel. “Eu e meu amigo vimos o caminhão da SOS Mata Atlântica e resolvemos entrar. Vi o filme sobre a Mata Atlântica. Conversei com os mo-nitores e eles explicaram como é importante recolher o lixo. Mas aqui na Cidade de Deus ainda tem gente que joga o lixo no Rio”, explicou o aluno.

Quem também se interessou em ir até a comunidade conferir o caminhão foi Daiane Gonçalves da Silva, 19 anos, aluna do Senai/RJ. “O projeto final do meu curso, o de técnico em Logística, é sobre sustentabilidade. Estudo no Senai/RJ da Freguesia e quando soube que o caminhão estaria aqui, na Cidade de Deus, resolvi vir para fazer uma pesquisa. Na disciplina logística reversa, analisamos o impacto do ma-terial com o qual trabalhamos, na perspectiva de observar a fabricação, o uso, o descarte e o aproveitamento dos materiais utilizados”, destacou.

Na Cidade de Deus, foi aferida a qualidade da água do Rio Grande, córrego que atravessa a Cidade de Deus. E todo o trabalho foi realizado com apoio de instituições parceiras: Secretaria de Estado de Saúde do RJ, ONG Ecomarapendi, Projeto Eco Rede-Alfazendo, Intercâmbio-Recicloteca, Projeto Coral Vivo e Instituto Terra de Preservação Ambiental (ITPA).

Novos destinos para o lixo da Cidade de Deus - Um diferencial da visita do caminhão da SOS Mata Atlântica na Cidade de Deus foi a exibição do vídeo “A história do Rio Grande”, elaborado pelo Projeto Eco Rede – Alfazendo com a colaboração de moradores da comunidade.

Segundo Carla Rocha, bióloga e coordenadora de Educação Ambiental do Projeto Eco Rede – Alfazendo, o rio que atravessa a Cidade de Deus é o Rio Grande, que nasce no Maciço da Pedra Branca, no Pau da Fome, localidade próxima ao Tanque, em Jacarepaguá.
“O vídeo conta a história do Rio Grande, mostrando como o acúmulo de lixo contribui para a sua poluição. A produção mostra às pessoas a importância do descarte correto do lixo, da Coleta da Comlurb. O lixo, sem sombra de dúvida, ainda é um dos aspectos mais preocupantes no que diz respeito às questões ambientais da Cidade de Deus”, informou a bióloga.

Uma das atividades desenvolvidas pelo Projeto Eco Rede – Alfazendo é a realização de palestras nas escolas. “Procuramos mobilizar as escolas da região. Procuramos formar as crianças, que conversam com seus pais e colaboram para que novas práticas sejam adotadas”, frisou Mariana Correa, pedagoga, que atua como educadora ambiental.

As oficinas de Educação Ambiental promovidas na Cidade de Deus têm como foco três “erres”: redução de consumo, reutilização e reciclagem. “Na reutilização, o lixo é transformado em outro produto, como uma bolsa feita de plástico de garrafas PET. Já na reciclagem, o lixo é transformado em outro produto por meio de um processo industrial”, esclareceu Jorgina Débora, assistente social, que coordena o setor de Geração de Emprego e Renda do Projeto Eco Rede – Alfazendo, acrescentando que ela e as demais integrantes do projeto são ou já foram moradoras da Cidade de Deus.

Por: Tainara Silva - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações