Entrar Assine

A hora de recomeçar a luta por uma vaga na universidade


As férias mal acabaram e muitos jovens já estão correndo atrás de um grande objetivo: ingressar em uma universidade. Mas para que isso aconteça, é preciso passar pelos temidos vestibulares. Pensando nisso, os candidatos já fazem planos e elaboram estratégias para esse início de preparação.

O estudante Pedro de Assis, 17 anos, revisará em casa os conteúdos que aprendeu em sala de aula. "Acho muito importante rever sempre o que aprendi porque posso esquecer de um detalhe ou outro e isso pode me pegar de surpresa em um concurso", disse o estudante, que tentará uma vaga no curso de História da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Já a estratégia da jovem Gabriela Frevier, 17 anos, é dar uma maior atenção para História e Geografia, matérias que tem mais dificuldade. "Estou pensando em procurar um curso para melhorar minhas notas, já que tive pior desempenho nessas áreas no último Enem", afirmou Gabriela, que pretende dedicar quatro horas diárias ao objetivo de conseguir uma vaga no curso de Veterinária.

Apesar de só poderem concorrer a uma vaga a partir do terceiro ano do ensino médio, muitos estudantes prestam vestibulares em séries anteriores para conhecerem as provas. Esse é o caso da jovem Carolina Marçallo, 16 anos, que se inscreveu no último Enem para obter mais experiência para esse ano.

"A prova em si é fácil, o difícil é o cansaço. Pretendo me preparar estudando em casa e fazendo os simulados do colégio", afirmou Carolina, que pretende ingressar no curso de Petróleo e Gás da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Para isso, a estudante pretende não deixar que as matérias se acumulem.

Para a estudante Ana Carolina Tavares, 17 anos, que também prestou o Enem no último ano, seu maior desafio será superar o nervosismo. "Como esse ano é 'pra valer', eu vou estar um pouquinho mais nervosa. Mas eu espero não encontrar nenhuma novidade porque a prova deve ter o mesmo método do ano passado".

O Ministério de Educação chegou a cogitar a realização de duas edições do Enem em 2012. A primeira aconteceria em abril, enquanto a segunda seria mantida no mês de outubro. A iniciativa divide a opinião dos candidatos. A estudante Marcelle Evangelista, 17 anos, enxerga uma nova edição do exame sob duas perspectivas.
 
"A vantagem é que os candidatos que não tenham passado no Enem de outubro, poderiam passar no de abril. Isso abriria mais vagas para mim na prova de outubro. Entretanto, se não tivessem cancelado o exame, poderia me inscrever para obter mais experiência. Acho que fazendo a prova agora, eu ficaria mais preparada", disse.

Já o estudante Igor Medeiros, 17 anos, é contra a realização de uma nova edição do Enem. "Acho que seria ruim a aplicação da prova em abril, pois as aulas só começam em março. Não teríamos tempo suficiente para nos preparar", afirma o estudante, que pretende dedicar de duas a três horas diárias ao sonho de conseguir uma vaga no curso de Arquitetura da Universidade de São Paulo (USP).

Por: Daiane Possimoser - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações