Folha Dirigida Entrar Assine

Candidatos priorizam revisão para sanar últimas dúvidas


A etapa final do vestibular Estadual 2013 acontece no dia 2 de dezembro. Será composta por exames discursivos de disciplinas específicas, de acordo com o curso pretendido pelo participante. Todos os candidatos ainda serão submetidos à prova de Português e farão uma redação. A pontuação na prova discursiva será somada à nota do estudante no Exame de Qualificação, primeira fase do vestibular.
 
O processo seletivo concede ingresso para a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo) e Academia de Bombeiro Militar Dom Pedro II (CBMERJ). A preparação dos candidatos segue focada no conteúdo referente a graduação para a qual concorre no vestibular. Para Caroline Barreto, de 17 anos, nesta reta final, o momento é de revisão das matérias já estudadas, e não de tentar absorver novos assuntos.
 
"Estou fazendo questões sobre as matérias e a partir do surgimento de dúvidas eu pego tópicos para revisar. Até porque agora tentar pegar tópico por tópico para é complicado, não há tempo. O ideal é consultar esses pontos e anotações para tentar surprir algumas dúvidas. Estou fazendo provas antigas da Uerj e de outras faculdades também, até para ter uma base geral da dificuldade do meu curso", disse a estudante, que tenta uma vaga em Engenharia Mecânica.
 
O foco da preparação, entretanto, deve ser direcionado para as disciplinas específicas que constituirão a prova. Segundo Carolina Guimarães, que pretende ingressar em Economia, é fundamental priorizar as matérias da área de conhecimento do seu curso, principalmente as que possuem peso dois na nota final.
 
"No meu caso em particular as (disciplinas) específicas são História e Matemática. Por ter uma facilidade maior com Matemática, não estou estudando tanto a matéria, apenas revisando. Já História, que tenho uma certa dificuldade, procuro intensificar bastante para ter uma boa nota", disse a estudante, de 17 anos, ao ressaltar o perfil da segunda fase do exame. "Na prova discursiva você pode mostrar de verdade o seu conhecimento sobre o assunto. Em questões objetivas, como é a primeira fase, se você errar a questão não ganha nada, mas na discursiva, mesmo que você possa tropeçar em algum ponto de vista, às vezes é possível conseguir pontuação pelo contexto geral da resposta."
 
Para Caroline Barreto, a prova discursiva é uma oportunidade melhor de ser avaliada. O Exame de Qualificação, segundo ela, pode muitas vezes fazer com que o estudante erre e zere a questão por dúvida entre opções de resposta semelhantes ou por distração. No Exame Discursivo, de acordo com ela, a chance disso acontecer diminui drasticamente, dando ao candidato a possibilidade de mostrar sua real aptidão.
 
"Eu prefiro as questões discursivas porque é ali que você pode mostrar do que é capaz. Podemos mostrar o que sabemos de verdade, fora que também ajuda a desenvolvermos melhor a questão. Em perguntas múltipla escolha sempre tem tem muita pegadinha, com alternativa semelhante, que pode te instigar ao erro", falou a jovem, que em sua estratégia de estudos prioriza a área que ainda não domina completamente. "Estou estudando mais Química, mesmo com a minha prova envolvendo também Matemática. Mas Química sempre exige um pouco mais, sempre tem este tipo de questão com pegadinhas, isso requer mais atenção e um pouco mais de estudo." 

Por: Thiago Luiz - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações