Folha Dirigida Entrar Assine

Estadual 2013: Professores orientam para Matemática e Física


A poucos dias da realização da segunda fase do Vestibular Estadual 2013, os candidatos se preparam intelectual e psicologicamente para o grande dia. No caso de quem concorre aos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Tecnologias, Engenharias, Física, Matemática, Oceanografia e Geologia, é Matemática a matéria específica que terá mais valor na prova (peso 2). Para auxiliar neste período pré-prova, a FOLHA DIRIGIDA falou com educadores especialistas na área.

Na opinião dos professores Luiz Felipe, do Colégio e Curso Ph, e do Professor do Colégio Santo Inácio e do Colégio Zaccaria, Thales do Couto, o passo básico que os candidatos devem dar agora é refazer os exames dos anos anteriores, principalmente os mais atuais. Segundo eles, a Uerj custuma ser fiel ao seu modelo de prova, explorando quase sempre os mesmos assuntos e abordando estes conteúdos de forma semelhante, de um ano para o outro.

Para quem tem receio do formato de prova discursiva, o professor Luiz Felipe explica que ela pode ser uma grande vantagem, principalmente em Matemática, já que o esforço do candidato mesmo que não chegue à resposta final, nunca é disperdiçado. “Mesmo que o candidato não atinja a resposta correta, todo o desenvolvimento dele na questão é levado em conta. Sendo assim, ele pode garantir alguma pontuação”, afirma.

Alguns dos tópicos que o professor do Ph acredita que devem aparecer são: Funções, Probabilidade, Análise Combinatória, Polinômios, Geometria Abalítica, Geometria Plana e Espacial.

Já Thales do Couto acredita que os conteúdos serão um pouco mais extensos. Ele os divide em três blocos, sendo o primeiro a Álgebra (Combinatória, Probabilidade, Progressões Aritméticas e Geométricas, Funções Lineares, Função Exponencial e Logarítmica); o segundo a Geometria (semelhanças de triângulo-retângulo e áreas das figuras planas em geral); e o terceito a Aritmética (grandezas, regra de três, proporcionalidades, entre outros).

“Os alunos precisam fazer uma revisão forte de geometria, principalmente das semelhanças de triângulo-retângulo e as áreas das figuras semelhantes. Algumas habilidades como saber analisar  os sólidos geométricos e transferir esses problemas para a geometria plana, como pegar um prisma, por exemplo, e transferi-lo para a geometria plana, além de saber observar as figuras geométricas que se apresentam em sua estrutura serão um diferencial”, diz o professor.

Thales também atenta para a importância de rever assuntos que comumente são dados no ensino fundamental, sempre utilizados na resolução de qualquer questão. “A prova da Uerj requer um raciocínio apurado. Ter essa visão lógica dos assuntos básicos é essencial para resolver os problemas.”
 
Física: estudo moderado com base em provas anteriores
 
As questões das provas de vestibular são guardadas a sete chaves. No entanto, conhecendo o estilo do exame e analisando os últimos concursos, é possível ter uma ideia dos assuntos que têm mais chances de ser abordados. É o que afirma o professor de Física do Colégio e Curso pH, Francisco de Schueler.

Faltando menos de uma semana para o Exame Discursivo do vestibular Estadual 2013, marcado para o dia 2 de dezembro, Schueler aconselhou que os candidatos deem atenção para matérias que costumam aparecer nos últimos exames, como eletrodinâmica, com foco em circuitos elétricos; hidrostática, com foco em Teorema de Arquimedes, que fala sobre a força de empuxo; eletrostática; ótica geométrica e leis de Newton.

Na opinião do professor, a melhor maneira de estudar nessa reta final é pegar os cinco exames anteriores e listar as matérias mais cobradas. A partir daí, concentrar os estudos nos pontos que avaliarem ter mais dificuldades. “Não precisa olhar a Física inteira. É preciso ter foco naquilo que acham mais complicado na listagem. Percebo que o desespero faz alguns alunos tentarem resolver tudo o que não foi resolvido durante o ano e acabam chegando desgastados no dia da prova. Isso pode levar a um desempenho abaixo do esperado. Minha sugestão é que não parem de estudar, mas que o ritmo não seja tão intenso.”

De acordo ele, nos últimos três anos, a prova tem vindo com um nível de dificuldade um pouco menor, com perguntas claras e objetiva, sem grandes enunciados que dispersem a atenção do aluno: “As questões costumam ir direto ao ponto. A avaliação é bem concisa nesse aspecto”. Entretanto, enquanto isto pesa como um ponto a favor, o Exame Discursivo, segundo o docente, não se preocupa em facilitar as contas na hora da resolução. “Pode ser que os candidatos tenham que fazer algumas contas um pouco chatas.”

Francisco de Schueler também aproveitou a oportunidade para dar dicas de como os candidatos devem se comportar na véspera e no dia da avaliação. O professor recomendou que cheguem cedo ao local do exame, levem algum alimento e bebida para o caso de sentir fome e sede durante a realização da avaliação e, caso forem sair no dia anterior, procurar programas leves. “Tentem, da melhor forma possível, chegar tranquilos e com bastante calma no dia. Isso pode ser bem importante”, disse.
 

Por: Juliana - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações