Folha Dirigida Entrar Assine

\"Estudava até de madrugada\", diz 1ª colocada geral na Uerj




Passar no vestibular para uma universidade pública é sempre uma tarefa complicada, que exige muito esforço, sacrifício e planejamento do candidato. Classificar-se na primeira posição de uma pública se torna mais sacrificante ainda. Ao fazer 96,5 pontos de 100 possíveis, a estudante Rebeca Pinheiro dos Reis, que disputou uma das vagas para Engenharia Elétrica, conseguiu a façanha de ser a mais bem colocada no processo seletivo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

Como já era de se esperar, o fato gerou muita felicidade para a jovem de 19 anos e sua família. “Nunca tinha sido primeiro lugar em nada,” comemora Rebeca. “Meus pais ficaram muito felizes, e meus amigos também. Recebi ligações de parentes, foi tudo muito bom,” descreveu ela.

Mas nem tudo foi festa na vida de Rebeca, que tinha como foco o Instituto Militar de Engenharia (IME) ou o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), e cursou o pré-vestibular do Ponto de Ensino (Pensi) voltado para as provas dessas duas instituições em 2014. Segundo ela, que cursou os ensinos fundamental e médio no Colégio Santo Inácio, o ano que passou foi bem “desgastante”, mas fato de ter se preparado para duas instituições que demandam muito estudo e preparo permitiu a ela a oportunidade de ter um desempenho melhor em uma prova que não é tão difícil. “A preparação que fiz para o IME e ITA deixou as provas da Uerj e do Enem relativamente fáceis,” disse Rebeca.

A rotina de estudos da primeira colocada do Vestibular 2015 da Uerj foi muito forte, de acordo com ela. “Assistia às aulas do curso depois ficava estudando lá à tarde; Em casa, estudava até de madrugada,” relata Rebeca. Mesmo com tanto sacrifício, Rebeca procurou não deixar o lazer completamente para trás. Ela conseguiu, por exemplo, encontrar tempo para estar com os amigos. “Todo sábado tinha simulado no curso. Quando acabava, saía com os amigos, que lá estavam, para comer alguma coisa,” disse Rebeca, que nem nessa hora esquecia o vestibular. “Mesmo nos divertindo, acabávamos discutindo as questões que cairiam nas provas.”

Rebeca diz que contou muito com a ajuda dos amigos durante o ano, o que a motivou bastante. “Sempre quando tinha dúvida em algum exercício, falava com algum amigo que estava estudando lá no curso. E também tirei dúvida de muitos deles. Nós nos procurávamos antes de procurar o professor,” diz a jovem. Para os que pretendem fazer vestibular este ano, Rebeca recomenda que o estudante traçar um plano de estudos. “A pessoa precisa estabelecer uma rotina diária de estudos e fazer de tudo
para cumpri-la. Também é essencial não deixar nenhuma dúvida para trás,” recomendou a primeira colocada no Estadual 2015.

Por: Gabriel Oliveira - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações