Folha Dirigida Entrar Assine

Professor dá dicas para organizar a preparação


Conseguir uma vaga em uma universidade reconhecida é o sonho de milhares de vestibulandos que desejam uma boa colocação no mercado de trabalho. Entretanto, para que esse desejo se torne realidade, é preciso passar pelos concorridos vestibulares. E para que as chances de realizar esse desejo se tornem maiores, o melhor é começar a preparação o quanto antes, seguindo alguns procedimentos.

"Os candidatos com melhores colocações nos últimos vestibulares adquiriram, primeiro, uma rotina de estudos. O fato de ter que chegar na prova e fazer um grande número de questões não tem que ser algo novo", afirma Claudio Hansen, professor de Geografia do Sistema Elite de Ensino.

Em 2012, a maior parte das universidades públicas do Rio de Janeiro farão a sua seleção através do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A única a manter o vestibular tradicional será a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Segundo o professor Claudio Hansen, os candidatos devem agora priorizar a preparação para as questões objetivas, uma vez que demandam agilidade, e buscar conhecer as características do exame.

"Para quem vai fazer o vestibular pela primeira vez, o recomendado é tentar conhecer o padrão da prova para não encontrar algo que não esperava. O Enem tem um jeito muito específico e um caráter interpretativo muito grande", disse o professor, que também aconselha que o candidato faça questões de edições anteriores do Enem e de outras provas organizadas pelo Inep.

Outra recomendação é que o candidato mantenha uma rotina de estudos em casa, além das aulas tidas nos colégios e pré-vestibulares. Para o início de preparação, o aconselhável é que esses estudos não passem de duas ou três horas diárias, com intervalos entre as mesmas. No entanto, com a aproximação das provas, o tempo podem chegar à quatro ou cinco horas por dia.

Ainda que a não-classificação em vestibulares anteriores possa gerar desânimo nos candidatos mais experientes, o professor Claudio Hansen afirma que é preciso persistência. Segundo ele, o Brasil passa por uma fase onde há uma grande demanda por qualificação. Além disso, a experiência com as provas pode ser um aliado importante.

"Quem já fez vestibular, já parte de uma vantagem de conhecer os padrões e os ritmos de prova. O aluno tem que compreender que essa é uma fase importante para a vida dele e que para uma pessoa sem qualificação, as chances serão cada vez menores", afirma.

Por: Daiane Possimoser - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações