Folha Dirigida Entrar Assine

Uerj: professor orienta estudo para parte de História


Os 87.877 inscritos no primeiro Exame de Qualificação do Vestibular Estadual 2015, certamente, já se encontram na reta final de preparação para a prova, marcada para o dia 8 de junho, a partir das 9h. Por meio de provas objetivas, eles resolverão 60 questões,  pela primeira etapa do processo seletivo. Além de ser a principal porta de entrada para a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e para a Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo), o Estadual 2015 também selecionará candidatos ao curso de formação de Oficiais da Academia de Bombeiro Militar D. Pedro II, do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (ABM D. Pedro II/ CBMERJ).

A prova, que é bastante conhecida por estudantes do ensino médio e por especialistas, têm o objetivo de avaliar as habilidades e competências fundamentais dos candidatos para ingresso no ensino superior. Ela abordará quatro áreas do conhecimento: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas. Na área de Ciências Humanas, também serão cobradas questões de História, que exigem conhecimentos não só desta disciplina, mas também de Geografia, matéria que também compõe esta área da avaliação.

"O candidato deve lembrar-se que o Exame de Qualificação é de Ciências Humanas, o que significa estar atento ao caráter geo-histórico dos questionamentos, ou seja, a interdisciplinaridade dos temas - envolvendo história e geografia - além da transversalidade com as outras vivências humanas (Sociologia, Filosofia e Antropologia)", afirma o professor de História do Curso Progressão Autêntico, Adonis Miguel.

Segundo o especialista, ainda existem assuntos-chave na área de História que podem cair na prova de Ciências Humanas. "Alguns dos assuntos que costumam ser bem cobrados são: formação e transformações da sociedade brasileira, suas especificidades econômicas e políticas que caracterizam as diferentes fases da república, principalmente; história da África do Sul, com atenção a descolonização como justificativa; Primeira Guerra Mundial; Revolta da Vacina; Suicídio de Vargas; Diretas Já; Era Krustchev; Ato Adicional de 1934; Golpe Militar; e outros. Muito importante também ter atenção as Constituições, sobretudo ao que se refere aos processos eleitorais."

Já na reta final de estudos e com a data do primeiro exame próxima, o candidato deve estar empenhado para que tire uma nota satisfatória já nesta primeira fase. Professor Adonis, dá algumas dicas para os participantes melhorarem seus estudos nesta reta final. "Se o candidato montou resumos, estudá-los. Caso não tenha, montá-los. Uma dica importante é a construção de resumos em forma de organogramas e quadros comparativos, onde todo o estudo fica dinâmico e leve."

Para manter a calma e fazer a prova com maior precisão e empenho, Adonis dá, também, orientações sobre como o candidato pode se comportar na véspera da prova para evitar tensão e desgaste emocional desnecessários. "Em primeiro lugar, é preciso ter a consciência de que a ansiedade faz
parte do processo e que um pouco dela é normal. Daí é tentar não se render a paranoias. No dia anterior à prova, busque fazer o que te relaxa, mesmo que isso seja estudar um pouco. Nestes casos, usar os organogramas e traçar metas de tempo, algo como: "só vou ler por 15 minutos!", pode ajudar muito."

Por: BRUNO WENCESLAU - [email protected]
Assine e tenha acesso completo ao conteúdo do Folha Dirigida
OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações