Entrar Assine

Notícia principal

Investimento nos servidores da Saúde e Educação é o que defende Gilmar Salgado


Gilmar Salgado dos Santos, candidato à Prefeitura de Florianópolis pelo Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), tem uma linha de pensamento voltada principalmente para os trabalhadores. Em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, o graduado em História pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc) fez questão de mencionar que, entre suas principais propostas, pretende investir pesado na Saúde Pública, valorizar, capacitar e empregar servidores e combater a violência  através da implementação de jovens nas áreas sociais.

"O PSTU tem certeza que há uma solução para todos os graves problemas sociais de Florianópolis mas, para isso, é preciso que as prioridades atuais mudem. Precisamos de uma cidade para os trabalhadores e não para os ricos e poderosos. A principal proposta é a aprovação, o mais rápido possível, juntamente com a população, do Plano Diretor Participativo, que está desde 2006 em discussão", disse, frisando que o plano é o melhor modo de solucionar os problemas da mobilidade urbana, moradia, saneamento básico e que pretende utilizá-lo para dar  uma outra cara à Florianópolis.

Ao realizar campanhas na rua, Gilmar diz perceber a população indignada perante tudo que vem acontecendo e comentou sobre a Saúde Pública da capital. "É um campeonato de quem promete mais creche, segurança, mais polícia na rua, mobilidade urbana, entre outras soluções. O pior é que os anteriores também prometeram e até hoje nada mudou. Temos que dobrar o investimento na Saúde Pública. Pretendemos investir 6% do PIB no Sistema Único de Saúde, tomando como base outros países que conseguiram resolver esse problema", explicou Gilmar. O candidato também é contra a privatização dos hospitais. Segundo ele, a saúde não pode ser tratada como mercadoria e é um direito da constituição. A contratação, valorização e capacitação de enfermeiros, médicos, dentre outros  servidores da área, também estão presentes na pauta de propostas do político.

Ao ser perguntado sobre a Educação de Florianópolis, Gilmar disse também ser contra a municipalização da área e mencionou problemas recorrentes quanto aos servidores e profissionais. "Já foram fechadas sete escolas nos últimos oito anos. Quem fecha escolas abre cadeias. Parece que é isso que o governo tem feito, já que que não investe na Educação e inaugura presídios. É essencial que haja, assim como na Saúde, a valorização dos servidores e, principalmente, dos professores. Um dos projetos é aplicar o piso salarial na carreira", comentou o candidato, que também pretende aplicar 10% do PIB na Educação, o que seria um aumento significativo, além da realização de concursos públicos destinados à contratar professores efetivos, já que o número de temporários é grande, como informou.

Entrando no âmbito da Segurança Pública, o candidato do PSTU diz que é preciso investir nas outras áreas antes de pensar em segurança. Na opinão de Gilmar, os baixos salários e a desigualdade social são os principais fatores. "Na verdade, hoje em dia vivemos uma insegurança pública. Enquanto não houver investimentos na Educação, Saúde, Cultura e Emprego, principalmente dos jovens, não há como resolver esse problema. É preciso olhar para algumas comunidades, onde os moradores se queixam de sofrer repressão. O PSTU defende uma Polícia Civil unificada e, o mesmo serve para a Guarda Municipal, que hoje não oferece segurança para ninguém, só multa pessoas", finalizou, acrescentando que é necessário a aplicação de jovens nas áreas sociais, afim de evitar a violência.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações