Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Carlos Minc: um olhar para a sustentabilidade


O título Personalidade Cidadania 2012 é um reconhecimento da sociedade civil organizada à importância da luta em defesa do meio ambiente no Brasil. Foi assim que o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, recebeu a informação de que compõe o elenco de indicados para essa homenagem, concedida pela FOLHA DIRIGIDA, em parceria com a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e a Academia Brasileira de Filosofia (ABF).
 
Carlos Minc comanda, pela segunda vez, a pasta do Meio Ambiente no Estado do Rio de Janeiro. No entanto, sua trajetória de lutas começou na década de 60, no Movimento Estudantil. Ex-aluno do Colégio Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CAp-UFRJ), o secretário estadual do Ambiente foi vice-presidente da Associação Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (Ames) em 1967, na resistência contra a Ditadura Militar.
 
Integrante da organização clandestina VAR-Palmares, onde militou ao lado da presidente da República, Dilma Roussef, participou em 18 de junho de 1969, na cidade do Rio de Janeiro, do roubo de um cofre pertencente ao ex-governador de São Paulo Ademar de Barros, de onde foram levados 2,5 milhões de dólares. Preso em seguida, foi solto em 1970, juntamente com outros 40 prisioneiros políticos, libertados em troca do embaixador da então Alemanha Ocidental, Ehrenfried von Holleben, que fora sequestrado pela Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e pela Ação Libertadora Nacional (ALN), e exilado, retornado ao país somente em 1979, com a Anistia.

Economista, foi professor-adjunto do Departamento de Geografia da UFRJ; obteve o mestrado em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Técnica de Lisboa, em 1978; e doutorou-se em Economia do Desenvolvimento pela Universidade de Paris I - Sorbonne, em 1984.
 
Ativista do meio ambiente, foi eleito deputado estadual pelo Rio de Janeiro, em 1986, pelo Partido Verde (PV), que ajudou a fundar. Em 1990, 1994 e 1998 foi reeleito para a Assembleia do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Em 2007, foi nomeado secretário estadual do Ambiente do Rio de Janeiro pela primeira vez. E, em maio de 2008, assumiu o Ministério do Meio Ambiente. Em 31 de março de 2010, deixou o ministério para concorrer novamente ao cargo de deputado estadual e foi, mais uma vez, reeleito pelo PT. Desde o início de 2011, está à frente a Secretaria Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (SEA).
 
Em 1989, recebeu o Prêmio Global 500, concedido pela ONU aos que se destacam mundialmente nas lutas em defesa do meio ambiente. Como parlamentar, tem mais de 130 leis aprovadas. É também autor de vários livros dedicados às questões da sustentabilidade, como “Ecologia e Cidadania”, adotado em escolas públicas e privadas de todo o país.
 
Para o homenageado, o título Personalidade Cidadania reforça sua responsabilidade com as políticas de sustentabilidade. “Quando as pessoas apostam em mim, entendo que estão dando muita força e carinho para essa via, a luta em defesa do meio ambiente, da sustentabilidade. Só posso agradecer, ficar orgulhoso e me sentir muito mais responsável por levantar essas grandes bandeiras”, revelou o ex-ministro do Meio Ambiente.

Solenidade ocorre no dia 3 de maio

Em 3 de maio, acontece a solenidade de entrega da 8ª edição do título Personalidade Cidadania, no Jockey Club Brasileiro, no Centro do Rio. Iniciativa do Grupo FOLHA DIRIGIDA, da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Academia Brasileira de Filosofia (ABF), a titulação visa a reconhecer o trabalho de personalidades e instituições em prol do exercício da plena cidadania.

“Este prêmio foi criado procurando identificar e reconhecer publicamente o mérito de pessoas que contribuem, muitas vezes anonimamente, para a cidadania e inclusão social”, frisou o jornalista Paulo Adolfo Aizen, representante da ABI, supervisor da eleição.
 
Em 2012, na categoria Personalidade, o arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, eleito pela terceira vez consecutiva, passa a integrar a Galeria das Grandes Personalidades. A partir do próximo ano, Orani não poderá ser mais eleito. Já faziam parte da galeria o arcebispo-emérito do Rio de Janeiro, Dom Eugenio Sales, o governador do Rio, Sérgio Cabral, a missionária Zilda Arns e o ex-ministro do Trabalho e atual presidente do PDT, Carlos Lupi.
 
Também receberão o título: Alessandro Molon, deputado federal pelo PT-RJ; o empresário Antenor Barros Leal, presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ); Carlos Minc, secretário estadual de Meio Ambiente; Joaquim Barbosa, ministro do Supremo Tribunal Federal; Luís Antônio Camargo de Melo, procurador-geral do Ministério Público do Trabalho; Luís Fernando Pezão, vice-governador do Rio; Pricilla Azevedo, major da PM-RJ; Sérgio Besserman Vianna, economista, e o cartunista Ziraldo.
 
Os premiados foram eleitos por um colégio eleitoral composto por 5.381 representantes de diversos segmentos da sociedade. A votação foi secreta e cada membro enviou até três indicações em cada categoria. “Cada um indica espontaneamente, sem pré-indicação de nomes, as pessoas e as instituições que consideram merecedoras do título Personalidade Cidadania. Desta forma democrática, chega-se aos eleitos”, explicou Paulo Adolfo Aizen.
 
Já na categoria Instituições, serão agraciados: o Procon-RJ, o Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ), que se junta na Galeria Instituições com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e o Sebrae-RJ.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações