Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Divulgados gabaritos preliminares das objetivas


A Prefeitura de Guapimirim, no Grande Rio, divulgou os gabaritos das provas objetivas do concurso, aplicadas no último domingo, dia 6. Os interessados podem conferir as respostas na FOLHA DIRIGIDA Online ou no site da organizadora, a Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão do Instituto Benjamim Constant (Faibc).
 
O resultado dos recursos contra os gabaritos será publicado no próximo dia 23 e, dois dias depois, a organizadora irá liberar o gabarito definitivo. O resultado está marcado para o dia 4 de junho, exceto para os cargos de professor I e II e guarda municipal, que passarão ainda por uma segunda etapa, com avaliações de títulos e física, respectivamente.
 
A convocação desses profissionais também será feita no dia 4 de junho e, no dia seguinte, quem entregou os títulos no dia da prova objetiva (6 de maio) e teve analisados os documentos, poderá conhecer o resultado preliminar dessa avaliação, no site da Faibc. Os candidatos à guarda municipal farão a avaliação física nos dias 9 e 10 de junho, somente na cidade de Guapimirim (os horários ainda não foram definidos).
 
O resultado final do concurso, que tem validade de um ano, podendo ser prorrogado pelo mesmo período, sairá no dia 18 de junho. São oferecidas oportunidades para diversos cargos dos níveis médio e superior.

Serviço
Gabaritos: www.faibc.org.br e www.faibcconcursos.org.br

 
Candidatos se sentem prejudicados

Em virtude de um erro operacional (falha no processo de envelopamento), a FAIBC deixou de aplicar as provas, no último domingo, dia 6, para os candidatos aos cargos de enfermeiro plantonista, fiscal ambiental, fiscal de obras, fiscal de postura, fiscal rodoviário, fiscal sanitarista e fiscal tributário, alocados nas salas 209 e 210 do Colégio Estadual Edmundo Bittencourt, em Teresópolis.

Em virtude disso, a organizadora anunciou que irá aplicar, neste domingo, dia 13, as provas para este pequeno grupo de candidatos (cerca de 40) que deixou de fazê-las, sem anular as avaliações dos demais, que realizaram os exames para estas mesmas funções nas cidades de Guapimirim, Duque de Caxias, Magé, São Gonçalo e Rio de Janeiro.

Embora prometa fazer uma prova como o mesmo grau de dificuldade, muitos candidatos estão criticando a decisão da organizadora, já que isso implicaria em vários problemas. "Não há como se falar em mesmo grau de dificuldade quando se aplicam provas com questões distintas. Os candidatos que concorrem a um determinado cargo devem ser avaliados igualitariamente, sem distinção, de modo a assegurar que uns não sejam beneficiados e outros não sejam prejudicados", alega um participante, que não quis se identificar.

Outros candidatos acreditam também que esta decisão permitirá que aqueles que não fizeram as provas, por uma falha da organizadora, terão mais tempo de estudar. O advogado e especialista em concursos públicos Jose Manuel Duarte Correia chamou o caso de inusitado, cabendo ao interesse coletivo denunciar o ocorrido ao Ministério Público para que seja investigado. "É o melhor a fazer. O concurso pode ser anulado e os responsáveis serem punidos por ação criminal e eleitoral", destacou.
 
Na ocasião, os candidatos foram avaliados por meio de provas de múltipla escolha de Conhecimentos Específicos e Língua Portuguesa (comum a todos) e Conhecimentos Gerais da área médica, Sistema Único de Saúde, Raciocínio Lógico e Fundamentos da Educação, de acordo com a função. A FAIBC foi procurada pela FOLHA DIRIGIDA, mas até o fechamento desta edição, não deu posicionamento sobre as críticas feitas pelos candidatos.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações