Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Gabaritos das provas de domingo saem ainda hoje


Os gabaritos preliminares das provas objetivas do concurso da Polícia Federal (PF) para 600 vagas de escrivão, delegado e perito, aplicadas neste domingo, junto à prova discursiva, em todas as capitais, estão previstos para serem divulgados ainda nesta terça-feira, dia 23, a partir das 19h. As respostas oficiais poderão ser conferidas nos sites do Cespe/UnB e da FOLHA DIRIGIDA. Os candidatos que quiserem interpor recursos contra os gabaritos irão dispor de dois dias para isso (provavelmente, as próximas quarta e quinta-feiras). Os pedidos de recurso serão aceitos apenas no site do organizador, das 9h do primeiro dia às 18h do segundo, no horário oficial de Brasília/DF. A seleção atraiu 166.052 candidatos em todo o país. O número de faltosos ainda não foi informado.
 
O resultado final da prova objetiva e o resultado provisório na discursiva serão divulgados na data provável de 12 de agosto. Serão corrigidas as discursivas apenas daqueles que obtiverem, no mínimo, 36 pontos nos exames objetivos (sendo pelo menos 10 pontos em Conhecimentos Básicos e 21 em Conhecimentos Específicos, no caso de perito) e se classificarem até a posição estabelecida no edital (o equivalente a três vezes o número de vagas para escrivão e delegado e a quatro vezes a quantidade de vagas para perito), respeitados os empates na posição limite.
 
O cálculo da pontuação obtida nas provas objetivas, compostas por 120 questões (no estilo certo ou errado), é feito atribuindo-se um ponto positivo para cada resposta certa e um ponto negativo para cada erro. Não são atribuídos pontos às questões sem resposta ou com resposta dupla. Na discursiva de escrivão e perito, será necessário obter pelo menos 6,50 dos 13 pontos totais para ser aprovado, e na de delegado, os mínimos de seis dos 12 pontos do conjunto das três questões e seis dos 12 pontos da peça profissional.
 
Os habilitados serão submetidos ainda a exame de aptidão física, previsto para os dias 14 e 15 de setembro, exame médico, avaliação psicológica, curso de formação e investigação social. As 350 vagas de escrivão, 150 de delegado e 100 de perito serão preenchidas, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, e em unidades de fronteira, localizadas também no Paraná, no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. A remuneração inicial oferecida pela PF é de R$7.887,33 para escrivão e R$14.410,11 para delegado e perito, já com o auxílio-alimentação, de R$373. A validade da seleção será de um mês, podendo dobrar.
 
 
Busca por lugar ao Sol começou sob a luz da Lua
 
Atentos à orientação dos organizadores para que chegassem ao local de prova com uma hora de antecedência para o horário previsto para o início da avaliação, às 8h, os candidatos do concurso da PF tiverem que sair da cama cedo neste domingo. Muitos deles, provavelmente, ainda puderam ver a Lua ao sair de casa, já que o Sol começou a lançar os seus primeiros raios apenas por volta das 6h. No Rio de Janeiro, às 7h, centenas de concorrentes ao cargo de escrivão já formavam fila em frente à unidade Praça Onze da Universidade Estácio de Sá, onde eram esperados 2.475 candidatos. Um desavisado poderia achar que o aglomerado de gente tratava-se de peregrinos, que perto dali, no Sambódromo, retiravam os kits para participantes da Jornada Mundial da Juventude, que a cidade sediará a partir da próxima terça-feira, dia 23.
 
Primeira da fila formada em frente ao local de aplicação das provas, a advogada Regina Célia Lopes, de 43 anos, contou que teve que sair às 4h de Teresópolis, cidade onde mora e que fica a cerca de 90km da capital fluminense, na fria região serrana. Ela chegou às 6h40, e apesar das horas de sono perdidas, demonstrou estar ligada. “Com o Cespe as questões são bem complicadas. A prova é cheia de pegadinhas. Mais do que estudar, tem que estar preparado para esse tipo de enfrentamento que a gente vai ter lá dentro”, disse ela, que optou por ir à prova de carro para não correr o risco de ficar à mercê do transporte público carioca, que considerou inadequado para o deslocamento dos candidatos. “A cidade precisaria se preparar melhor para isso”, criticou a candidata, em um dia em que a Prefeitura montou um esquema especial de trânsito, voltado, no entanto, à reabertura do Maracanã aos clubes cariocas, com o clássico entre Fluminense e Vasco, às 18h30.
 
Apesar disso, os candidatos não parecem ter tido problemas para chegar ao local, uma vez que não foram registrados atrasos, muito em função da pequena tolerância para o fechamento dos portões, que aconteceu às 8h08, impedindo que alguns poucos perdessem a prova e, consequentemente, de forma prematura, o investimento de R$125 feito na inscrição (R$150, no caso de delegado e perito). Depois de pouco mais de uma hora, os primeiros concorrentes já começavam a deixar o local das provas. Para o agente dos Correios, Rodrigo da Silva Mendonça, de 30 anos, que usou apenas duas das cinco horas disponíveis para a resolução das questões, a prova não ofereceu dificuldades. “Achei bem fácil. A parte de Legislação Processual Penal estava bem tranquila, não estava muito exigente. Noções de Arquivologia é que estava só um pouquinho mais enjoada. Mas essas duas horas foram suficientes para fazer uma boa prova.”
 
Opinião parecida teve a servidora pública Tamara Amorim de Souza, de 26 anos. “As questões estavam meio complicadas, como em todo o concurso, mas foi tranquilo. A discursiva que pegou um pouco. Foram três questões para dissertar sobre mercadoria importada sem imposto”, contou ela. “Agora é esperar, né? Se Deus ajudar, quem sabe?”, disse a candidata ao ser perguntada sobre a o grau de confiança na aprovação. Sobre os testes físicos, próxima etapa do concurso, ela avaliou que, como praticante de esportes, está em constante preparação.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações