Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Estudos devem começar já


A cada ano ou novo edital de concurso publicado, as bancas organizadoras aumentam o nível da cobrança nas provas. Para especialistas, é necessário muito preparo para alcançar a tão sonhada estabilidade financeira, principalmente em um momento de crise econônomica instalada no país.
 
Sendo assim, a professora Flávia Campos, responsável pela disciplina de Direito Administrativo no Supremo Concursos, Belo Horizonte, sugeriu algumas dicas de estudo. "O candidato deve tomar cuidado com o texto da Constituição ou das leis". Os interessados no concurso do TJ-MG devem ficar atentos, pois em breve o edital será divulgado. A tendência é que a preparação do concurso mais esperado para o segundo semestre deste ano siga intensamente, evitando possíveis pegadinhas e surpresas no exame que terá em torno de 80 questões.
 
O último concurso do TJ-MG foi organizado pela Makiyama. Já o atual é de responsabilidade da Consulplan. Segundo a professora, para a disciplina de Direito Administrativo, ambas as organizadoras possuem uma visão parecida. A cobrança destacada foi no conteúdo de lei seca, pois a banca não costuma cobrar decisões jurisprudenciais ou discussões doutrinárias. Assim, os candidatos terão a disposição diversos materiais e referências que servem como mecanismo de fixação, tendo como base o edital do último certame. "Em Direito Administrativo, o último edital do TJ-MG para o cargo de oficial cobrou apenas os arts. 37 a 41 da Constituição, além de agentes públicos e normas estaduais. Assim, o tratamento do Direito Administrativo não abarcou legislações específicas. Caso continue neste mesmo molde do edital passado, podem ser cobradas as regras gerais da Administração Pública, tratadas no texto constitucional. Como a banca tem uma tendência a cobrar lei seca, o candidato deve ficar atento ao Estatuto do Servidor Civil do Estado de Minas Gerais (Lei 869/52), a Constituição Federal de Minas Gerais, e a Lei Complementar 59/2001. Além, claro, da Constituição da República." orientou a professora Flávia Campos.

 A docente recomenda um olhar diferenciado em alguns tópicos que podem ser cobrados em Direito Administrativo e Legislação Especial. Os candidatos devem ficar bastante atentos, pois foi ressaltado pela professora a possibilidade de pegadinhas nas questões. Os interessados precisam reforçar o preparo na interpretação e reler atentamente os enunciados. "Para os candidatos que estão iniciando a preparação para a prova do TJMG, a atenção deve ser voltada para o estudo da lei seca, tomando cuidado, na hora de responder as questões, às possíveis pegadinhas que a questão pode ter, mudando uma expressão da lei, o que faz com que a alternativa fique errada. No Direito Administrativo e na Legislação Especial, atenção especial para os servidores públicos, suas formas de provimento, vacância e regime disciplinar."
 
Ainda é tempo de começar a preparação para o concurso. Fiquem atentos as novidades que a Folha Dirigida trará nas próximas edições e não deixe de acompanhar e fazer os testes que foram preparados pelos professores especializados nos conteúdos.

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações