Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Provas para técnicos do TRE-SP ocorrem com tranquilidade


A aplicação das provas do concurso realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) de São Paulo, neste domingo, dia 11, no período da manhã, para o cargo de técnico judiciário, ocorreram com tranquilidade. No prédio da Faculdade de Tecnologia (Fatec), na unidade Tiradentes, mesmo antes da abertura dos portões, às 7h30, já era longa a fila para ingresso. Com a abertura dos portões, no horário previsto, os participantes puderam ingressar nas salas de aplicação sem qualquer tipo de tumulto.

O índice de faltosos, bem como as datas de publicação dos gabaritos e resultados, será divulgado pela organizadora, a Fundação Carlos Chagas, a partir desta segunda-feira, dia 12. Na unidade Tiradentes da Fatec o trânsito fluia com naturalidade, o que facilitou a tranquilidade para a chegada ao local. O clima ameno também colaborou. Os portões foram fechados às 8h05, com tolerância de cinco minutos para eventuais retardatários. Durante o fechamento, o único incidente se refere a um candidato, que correndo para ingressar em tempo, acabou caindo na entrada principal,sendo prontamente auxiliado pelos funcionários da Fundação Carlos Chagas.

Após o fechamento, apenas uma candidata chegou ao local atrasada, sendo impossibilitada de fazer a prova. A agente de saúde Cátia Virginia Santana, de 24 anos, alega que saiu de casa às 5h30, porém, por morar em Itapevi, a demora dos trens acabou fazendo com que não conseguisse chegar em tempo. "Estudei para esta prova aproximadamente de seis a oito meses e por um infeliz atraso perdi a oportunidade", disse. Segundo ela, a intenção agora é esperar outros concursos para tentar novamente, como para ingresso no Tribunal de Justiça.

O bom andamento da aplicação, no período da manhã, pode ser caracterizado pela descontração dos camelôs presentes no local, que ofereciam produtos como água, lápis, caneta e borracha. "Olha a água mineral", gritava a mais exaltada. "Geladinha, barata e com o gabarito da prova na ponta". O recipiente transparente certamente ressaltava o tom de brincadeira. Até porque, caso, de alguma forma, a água pudesse auxiliar no desempenho da prova, certamente seria vendida não como água mineral, mas como água benta.


Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações