Folha Dirigida Entrar Assine

Notícia principal

Magistrados cobram concursos para Tribunais do Trabalho, incluindo o TRT-RJ

Magistrados cobram concursos para Tribunais do Trabalho, incluindo o TRT-RJ

Resumo: A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 1ª Região (Amatra 1) cobra do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) a revogação da Recomendação 21, que suspende nomeações nos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) e é entrave para a abertura de um novo concurso para o Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ).


A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 1ª Região (Amatra 1) cobra do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) a revogação da Recomendação 21, que suspende nomeações nos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) e é entrave para a abertura do concurso TRT-RJ (Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro2017. A Amatra 1 também repudiou as recentes declarações do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, acerca da Justiça Trabalhista.
 
 
"Nós avaliamos que o deputado desconhece a Justiça do Trabalho e repudiamos as declarações do parlamentar. É a Justiça Trabalhista que aplica a lei, produzida pelo Poder Legislativo, que ele integra. A Amatra 1 apoia ainda a abertura de concurso e cobra a revogação da Recomendação 21, que impede nomeações. Há necessidade de repor os servidores que estão saindo. Não é um concurso para aumentar o quadro, mas para repor aqueles que estão saindo", assinalou a presidente da Amatra 1, Cléa Maria Carvalho do Couto.
 
                                                                        Cléa do Couto cobra concursos e valorização da Justiça do Trabalho
 
 
Rodrigo Maia disse no Plenário da Câmara na última quarta-feira, dia 8, que a "Justiça do Trabalho não deveria existir e que seus membros tomam decisões irresponsáveis". É uma declaração preocupante na visão da Amatra 1, tendo em vista a importância da Justiça Trabalhista e a falta de recursos para o setor no último ano. Para 2017, o cenário mudou, com mais recursos, mas há necessidade, segundo a associação, de mais avanços, como a revogação da Recomendação 21.
 
"A Amatra 1 atua contra isso e a favor da recomposição de servidores por meio da Anamatra, que é nossa representação nacional. O que ela tem feito é um trabalho político e jurídico. Evidentemente que o ministro do trabalho Ives Gandra Filho, conhecendo as necessidades, é sensível à revogação e deverá optar por ela. É o que esperamos."

Concurso é inevitável

CADASTRE-SE AGORA E VEJA MAIS SOBRE ESTE CONTEÚDO

OU

Comentários

NEWSLETTER
Cadastre-se para receber notícias e Informações